Um papo cabeça anima e esclarece

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe

O poder de comunicar por meio das palavras é uma característica própria do ser humano que criou, mais do que vocábulos, línguas, frases, expressões e outras formas de expressar o que pensa, imagina, sonha, planeja e orienta a sua vida.

As formas de linguagem são mais ou menos complexas dependendo do conhecimento, do uso, da familiaridade, do tempo de assimilação, do estudo, enfim, do contexto no qual cada pessoa está inserida.

Ouvir ou acompanhar a fala de alguém que comunica bem ou com clareza o que pensa é mais do que uma expressão de admiração ou reconhecimento, mas uma oportunidade de aprender e apreender o que está sendo dito.

Participar de um encontro, reunião, palestra ou aula de quem tem bom conhecimento e sabe expressá-lo não cansa e tudo é aproveitado com especial crescimento.

Existem pessoas que muito falam e muito comunicam. Outras nada falam e, também comunicam. Outras pouco falam e muito comunicam.

Entretanto, existem aquelas que nada falam e nada comunicam. Estão numa posição onde podem contribuir e se calam ou silenciam e, por isso, sequer são notadas, ou falta não fazem. Mais do que isso, sua ausência não é notada.

O ato de falar é uma qualidade excepcional do ser humano e uma bela oportunidade de construir relações com a mesma qualidade da fala. Aprendi desde cedo, valorizar as boas falas, especialmente quem fala melhor do que eu. Esse é um exercício difícil, delicado e exigente que precisa ser treinado e educado com a mesma intensidade.

A responsabilidade de pronunciar um conjunto de palavras precisa ser levado a sério. Nesse e noutros campos da comunicação o exercício da humildade ajuda uma pessoa ser mais sensível e prudente.

Sempre há algo a dizer, por meio da fala ou de outras formas de comunicação.  

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito