Calçadas no centro viraram prateleiras de ambulantes

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Passo Fundo cresce todos os dias, como consequência os ares de cidade grande estão pelas ruas, algumas coisas boas e outras nem tanto. Uma situação, por exemplo, que precisa ser organizada é a utilização do passeio público. As calçadas na Avenida Brasil, se tornaram prateiras de ambulantes, com isto o espaço para os pedestres que já era pequeno, ficou ainda pior. Os senegaleses, que são a maioria dos ambulantes, ganham a vida com o comércio informal, o que pelo lado humano, precisa ser respeitado, porém do ponto de vista legal, está errado, mas esta é outra questão, o que precisa urgente é disciplinar os pontos em que se pode usar a calçada para esta finalidade, afinal de contas é calçada existe para o pedestre e não para o comércio. Cabe à prefeitura definir claramente isto e fiscalizar, antes que se perca o controle da situação.

 

Violência assustadora

Comentei semana passada sobre a banalidade dos homicídios em Passo Fundo. Estão matando por qualquer coisa, sem noção do quanto é grave tirar a vida de uma pessoa. A violência empregada pelos criminosos é assustadora, como desse rapaz morto no centro, com uma barra de ferro na cabeça. Está perigoso estar pelas ruas, os pais ficam com o coração na mão, enquanto os filhos não voltam para casa, pois do jeito que está à violência, a próxima vítima pode ser qualquer um. Claro que nesse caso a morte não foi por acaso, a vítima devia estar envolvida em alguma situação estranha, o que deve vir à tona nos próximos dias, porém corremos o risco de ser morto a qualquer momento por assaltante drogado, mesmo que não façamos nada.

 

 Insegurança fecha restaurantes nas estradas

É impressionante o número de restaurantes que estão com as portas fechadas à noite, nas estradas do nosso Estado. Alguns muito conhecidos, por funcionar 24 horas, estão fechando no cair da noite e quem precisa fazer uma parada para um lanche ou café, está tendo dificuldades de encontrar um estabelecimento aberto. O comerciante está certo em fechar, não se arriscar, isso é reflexo da insegurança, medo de assaltos e outros crimes. Esse é mais um prejuízo que a criminalidade oferece para as pessoas de bem.

 

Dizem por aí... Que a polícia já sabe quem é o autor do homicídio no centro e que a prisão é uma questão de horas. Será verdade?

Leia Também Mentira desmascarada Linda ou ridícula? Muito obrigado Dom Urbano! O respeito à propriedade alheia