Treinamento psicológico e o efeito no grupo

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

O treinamento psicológico vem aos poucos recebendo uma atenção especial da área científica nos últimos anos. O treinamento físico e o treinamento psicológico são imprescindíveis para a obtenção de resultados em grupos que participam de competições.

O planejamento melhora a performance, quanto a habilidades motoras, respeitando a individualidade biológica e psicológica de cada competidor, respeitando como indivíduo.

Os princípios do treinamento psicológico são: iniciativa própria (a decisão é individual, não sendo imposta por terceiros); compreensão (conhecer e se acostumar com a técnica); confiança (a chance de êxito é muito grande); individualidade (diversas técnicas que devem respeitar a personalidade e experiências); disciplina (regularidade, continuidade e consequência); métodos (passa a ser usado permanentemente); economia (treinar o mínimo possível com o máximo de rendimento); integração (treinamento físico e psicológico de forma bem distribuída); aconselhamento (sempre é bom um aconselhamento de um profissional habilitado para quando necessário); sucesso (é um conjunto de fatores que leva ao sucesso); transferência (serve para outras situações da vida diária).

O feedback, por sua vez, é importante porque há uma troca de informações dos dois lados, do técnico para o competidor e do competidor para o técnico, quando bem elaborado revela emoções, preferências e descontentamento dos competidores, possibilitando detectar seu nível de motivação para posteriormente se ter um atendimento mais próximo e mais efetivo.

O treinamento psicológico serve muito para a melhora do rendimento de várias habilidades psicológicas e físicas, mas principalmente trazendo resultados positivos e ajudando os indivíduos a enfrentarem este mundo competitivo.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”