BOE tem que fazer o que estava fazendo em Porto Alegre

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Após tanta polêmica, o Batalhão de Operações Especiais (BOE) está de volta à cidade, pelo menos em parte. A esperança é que com isto a questão da segurança pública melhore na nossa cidade. Sabemos que a região, principalmente os municípios pequenos estão desprotegidos, mas na lógica do secretário de segurança, combatendo a criminalidade nos municípios grandes, também se desarticula as quadrilhas no interior. Temos um dos batalhões mais qualificados do Brasil, disciplinado, que cumpre a sua missão, realmente competente, então precisamos usufruir mais deste bem. O BOE tem que fazer em Passo Fundo, o que fez em Porto Alegre, ir para ruas, trabalhar n o policiamento preventivo e não ficar aquartelado, esperando ser chamado para grandes ações. O momento é crítico e não podemos nos dar este luxo. Mesmo que isto aconteça, não podemos criar falsas expectativas, retornaram não mais do que 30 homens e o BOE não é exclusivo de Passo Fundo, atende uma região de 250 municípios, então esse reforço é quase irrisório, mas melhor que nada.

 

ITALAC com grandes perspectivas para Passo Fundo  

Essa semana tem sido de boas notícias para a nossa cidade, talvez seja coincidência, mas talvez tenha a ver com o aniversário do município e aniversário sem presente não tem graça. Assim como a BSBIOS, que vai aumentar o seu faturamento em R$ 200 milhões, a Italac, segundo seu presidente, Claudio Teixeira, quando estiver funcionando a pleno a sua ampliação, isto para 2018, também tem a perspectiva de aumentar em R$ 200 milhões o seu faturamento. Só entre essas duas empresas em retorno de ICM serão aproximadamente R$ 50 milhões a mais nos cofres da prefeitura. Nada mal para um momento de crise, onde as prefeituras estão juntando dinheiro, para pagar pessoal e garantir o atendimento básico a população.

 

Mais da metade da população está devendo

Os reflexos desta crise moral e financeira do Brasil são terríveis. Indicadores apontam que a inadimplência subiu no primeiro semestre do ano e hoje, mais de metade da população deve alguma coisa, ou em lojas, ou em bancos, ou em impostos, enfim quem está endividado tem como consolo que o seu caso não é exclusivo. Nesta hora até quem cobra tem que sentir o momento, tem que cobrar, mas milagres não acontecem. Além disto, tem a questão dos juros covardes que são cobrados, daí sim que o devedor não paga mais.

 

Dizem por aí... Que o BOE voltou só para acalmar a pressão da região sobre o Governo do Estado e não para resolver os problemas de segurança. Será verdade?

Leia Também Curiosidades sobre o Fusca Como fica o Congresso após a aprovação da Reforma da Previdência? Com sapato ou sem sapato O bom samaritano