Bispos da CNBB falam do desmonte da legislação trabalhista

Compartilhe

Os bispos que compõem a Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Social Transformadora e os referenciais das Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) publicaram uma mensagem ao final do encontro realizado em Brasília, nos dias 31 de julho e 1º de agosto. Na ocasião, os prelados procuraram “luzes para a atuação da Igreja no Brasil frente aos novos desafios da nossa realidade”.

Para os bispos, o governo, em lugar de fortalecer o papel do Estado para atender as necessidades e os direitos dos mais fragilizados, favorece os interesses do grande capital, sobretudo financeiro especulativo, penalizando os mais pobres, por exemplo, com a reforma da previdência, “falsamente justificada”.

O encontro aconteceu na sede das Pontifícias Obras Missionárias (POM) e teve assessoria do padre José Oscar Beozzo. As reflexões foram inspiradas no Concílio Vaticano II, particularmente na Constituição Pastoral Gaudium et Spes (Alegria e Esperança). A partir da II Conferência do Episcopado Latino-americano e caribenho, realizada em Medelín, há 49 anos, foi feito um resgate da aplicação do texto conciliar no continente, “reavivando e atualizando suas intuições e compromissos fundamentais no contexto da atual transformação social”.

Brasília, 1º de agosto de 2017.

Dom Guilherme Antonio Werlang, Msf

Bispo de Ipameri/GO


Leia Também Prêmio Nobel da Paz 2017 põe em foco a luta pelo fim da utilização de armas nucleares Papa Francisco nomeia novo bispo de Montenegro Domingo marcado pela romaria dos motociclistas Papa Francisco declara santos os mártires do Rio Grande do Norte