A bicicleta e o desenvolvimento de uma cidade sustentável, com qualidade de vida

Postado por: Manoela Cielo

Compartilhe

A chegada da revolução industrial, o desenvolvimento tecnológico, a internet, foram acontecimentos que trouxeram comodidade à sociedade, o avanço da medicina, acesso a informação e ainda mais facilidades. Com isso os recursos naturais se tornaram cada vez mais escassos, fazendo com que as preocupações com os recursos ambientais ficassem bastante evidente em todo o mundo.

Com uma economia cada vez mais baseada no consumo desenfreado, onde diversos equipamentos e produtos foram lançados ao mercado sem a preocupação com o seu destino pós consumo, aumentando os níveis de poluição ambiental, alteração do clima, interferindo na biodiversidade da flora e fauna e principalmente na qualidade de vida da população, ficou sinalizado um crescimento insustentável e o reconhecimento de que os recursos são finitos.

Após a descoberta do buraco na camada de ozônio em 1980, as preocupações com o processo produtivo surgiram com grande força, tornando o termo desenvolvimento sustentável como discurso prioritário.

Em 1992 aconteceu a ECO-92 - Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, com a participação de representantes de mais de 170 países e de toda a sociedade. Dessa conferência surgiu a Agenda 21, com o objetivo de harmonizar o desenvolvimento social com a preservação do meio ambiente. Em 1997 mais de 189 nações assinaram o Protocolo de Kyoto, iniciativa que visa conter a emissão de gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2) e os países que aderiram ao protocolo se comprometeram a reduzir a emissão de gases poluentes na atmosfera.

Com as discussões sobre o aquecimento global, os automóveis foram vistos como os grandes responsáveis da poluição atmosférica e a preocupação com a mobilidade urbana incentivou a criação do Programa Brasileiro de Mobilidade por Bicicleta criado pela Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana do Ministério Das Cidades, trazendo de fato um novo conceito de mobilidade Urbana Sustentável.

A inclusão da bicicleta para o deslocamento humano é uma grande alternativa para o desenvolvimento sustentável das cidades. A bicicleta que não é uma tecnologia nova, retornou com tudo e como uma grande aliada à qualidade de vida da população, auxiliando nas políticas públicas para a implementação de um acesso democrático a mobilidade urbana sustentável e ecologicamente correta, vistas nos municípios através da criação das ciclovias e ciclofaixas.

A bicicleta não é só amiga daquela pessoa que vai ao trabalho, ela proporciona diferentes momentos de alegria, seja fazendo uma trilha e apreciando a natureza, seja pedalando na estrada como ciclista profissional ou amador, desafiando limites físicos e mentais, renovando as energias necessárias para exercer com motivação as práticas rotineiras do trabalho, ou também através daquele simples passeio pela cidade, de forma individual ou em grupo, a bicicleta é sem duvida uma grande ferramenta para fazer novas amizades, deixar o estresse e as preocupações de lado, cuidar da saúde, colaborar com o meio ambiente e ainda contribuir para a qualidade do transporte nas cidades.

 

Leia Também Responsabilidades para com a família! TRF desiste de analisar novo conceito de receita Acende-se o fogo da tradição Onde estava a Bíblia?