Agosto é mês de homenagens para Irmã Dulce

Compartilhe

O dia 13 de agosto foi instituído pelo Vaticano como a data de celebração da festa litúrgica de Irmã Dulce. Desde a beatificação da religiosa, em 2011, a data foi escolhida porque foi nesse mesmo dia, em 1933, na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus (em Sergipe), que Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, aos 19 anos de idade, recebia o hábito e adotava, em homenagem à sua mãe, o nome de Irmã Dulce.

Em sua memória, a programação traz o tradicional novenário, que se iniciou dia 04 e vai até o dia 12 de agosto, no Santuário de Irmã Dulce, em Salvador. A agenda festiva dedicada à Mãe dos Pobres vai até o dia 13, quando haverá um dia inteiro de comemorações. Entre os destaques do dia 13, será realizada a Missa Solene, às 9h30, no Santuário da Bem-Aventurada, que contará com a presença do arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger. O dia dedicado ao Anjo Bom também terá a Caminhada Irmã Dulce, que antecede a Missa Solene, e será iniciada às 8h, com saída da Igreja do Bonfim em direção ao Santuário da beata, onde todos vão se reunir para a celebração.

Mãe dos Pobres - Nascida em 26 de maio de 1914, na cidade de Salvador, Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes começou a manifestar interesse pela vida religiosa desde cedo, ainda no início da adolescência. Aos 13 anos de idade, já atendia doentes no portão de sua casa, no bairro de Nazaré. Sempre com muita fé, amor e serviço, o Anjo Bom iniciou na década de 1930 um trabalho assistencial nas comunidades carentes, sobretudo nos Alagados, conjunto de palafitas que se consolidara na parte interna do bairro de Itapagipe, na capital baiana. Em 1949, Irmã Dulce ocupou um galinheiro ao lado do convento, após a autorização da sua superiora, com os primeiros 70 doentes. A iniciativa deu início à criação das Obras Sociais Irmã Dulce, instituição que abriga hoje um dos maiores complexos de saúde 100% SUS do país, com cerca de 4,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano. Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos, e atualmente está em processo de canonização. Para ser canonizada (declarada Santa) é necessária a comprovação de mais um milagre atribuído à freira baiana.



Fonte: Note Comunicação

Leia Também Semana da Família concluída no Santuário de Aparecida Mundo: 80% da população com restrição na liberdade religiosa Cardeal italiano representará o Papa em Aparecida Salão da Catedral acolheu palestra sobre endividamento das famílias