Atendimento emergencial para acidente ferroviário com produtos perigosos

Postado por: Manoela Cielo

Compartilhe


Todos os dias circulam pelo Brasil diversos produtos perigosos através de diferentes transportes, como o rodoviário, marítimo e ferroviário. Acidentes com o transporte de produtos perigosos vem ocorrendo de forma crescente e para evitar tamanho impacto, tanto ao meio ambiente como a saúde humana, o conhecimento de ações emergenciais para determinado tipo de acidente é fundamental, pois independente de ações de prevenção os acidentes podem ocorrer e muitas vezes causado pelo homem que não cumpre normas básicas e procedimentos de segurança.

Para o atendimento de emergência é necessária à presença de uma equipe multidisciplinar de profissionais das áreas de biologia, química, geologia, engenharia, segurança do trabalho e toxicologia, devendo os mesmos ter conhecimento específico sobre sua área de atuação, mas também conhecimento prévio sobre riscos químicos, toxicológicos, de equipamentos de proteção individual, primeiros-socorros, segurança, monitoramento e meio ambiente que são adquiridos através de treinamentos e capacitações.

Em casos de acidentes envolvendo trens, o atendimento emergencial necessita de diferentes procedimentos, sendo que o primeiro deve ser a rápida comunicação, geralmente feita pelo condutor do trem que deve informar sobre as reais condições do local, momento do sinistro, se há presença de vazamento além de outras informações relevantes para que ações de respostas sejam tomadas de forma mais rápida. Essas informações são repassadas a equipes de emergências, órgãos ambientais fiscalizadores, corpo de bombeiros e polícia militar.

Quando o acidente envolve significativo vazamento de produtos perigosos, o potencial de contaminação da área acidentada se torna muito grande, sendo que produtos líquidos além de passar pelo solo podem atingir cursos hídricos próximos, prejudicando a saúde da população além dos danos ao meio ambiente.

Ao mesmo tempo em que a avaliação da área para verificar a extensão do dano é feita, avaliações das condições dos vagões acidentados também são realizadas com o objetivo de evitar ainda danos maiores e através dessas informações que são decididas as medidas emergenciais a serem adotadas.

A empresa poluidora é a responsável por executar diferentes atividades para as medidas de controle do acidente, como também diferentes órgãos, como a defesa civil, corpo de bombeiros, a FEPAM no estado do Rio Grande do Sul e outros. Dentro dessas atividades está o isolamento da área, controle de acesso, a prevenção, preparação e combate a incêndio, evacuação de população, estancamento do vazamento, transbordo de carga, contenção e remoção do produto, gerenciamento dos resíduos líquidos e sólidos gerados, estancamento do vazamento, transbordo de carga, contenção e remoção do produto, gerenciamento dos resíduos líquidos e sólidos gerados, monitoramento ambiental.

A remoção da população para locais seguros pode ser cogitada em casos de emanação de vapores tóxicos ou inflamáveis e é só através do monitoramento ambiental que se obtém o conhecimento real da extensão do dano causado pelo acidente. 

Leia Também Exclusão do Simples Nacional por dívida tributária é inconstitucional e ilegal Competitividade: Brasil vence a Venezuela e a Mongólia Transtorno de Personalidade Borderline Critérios para o bom emprego de fins educativos