Setembro Amarelo: mês da prevenção ao suicídio

Compartilhe

É bem possível que você já tenha visto alguma divulgação sobre o “Setembro Amarelo”. Entretanto, você já parou para refletir a respeito? Vamos começar pela cor amarela: no semáforo ela indica atenção. É justamente esse o propósito da cor amarela na campanha: chamar a atenção das pessoas sobre os sinais do suicídio e as maneiras de prevenção.

No dia 10 de setembro, temos o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio. Muito mais do que uma data, é um momento de conscientização e informação sobre esse assunto, que requer a atenção de todos, uma vez que o assunto é frequentemente tratado como um tabu.

Muitas pessoas que pensam em suicídio falam para pessoas próximas que estão pensando em tirar a própria vida. Esse comportamento não deve ser ignorado, pois pode ser um pedido de ajuda. Assim, torna-se importante estar disposto a ouvir o que a pessoa tem a dizer, informando para ela e para pessoas próximas dela que existem profissionais como psicólogos ou psiquiatras que auxiliarão nesse momento.

Por sua vez, há quem acredite que quem fala em suicídio está querendo chamar a atenção, ou se quisesse se suicidar já teria feito. Na verdade isso é um grande engano, pois a pessoa com pensamentos suicidas se encontra em um estado de muita dificuldade, não vendo possibilidades de mudança em sua vida, tampouco imagina que possa viver de maneira diferente. É como se ela estivesse usando um tipo de óculos escuros que faz com que ela veja só o que há de negativo em si mesma e ao seu redor, sem esperanças quanto ao futuro.

Infelizmente, muitas pessoas acabam não buscando um tratamento adequado, o que contribui para que o sofrimento se torne cada vez mais intenso. Com isso, sentimentos de desesperança, desespero e desamparo acabam se associando com o suicídio. Nesses casos, é importante lembrar que a pessoa não quer necessariamente colocar fim à própria vida, mas sim que ela não consegue ver outra possibilidade de lidar com o seu sofrimento. Dessa forma, as pessoas próximas, como familiares e amigos, possuem muita importância no auxílio a esta pessoa na procura por tratamento.

As buscas por profissionais como psicólogos e psiquiatras são importantes, a fim de que um diagnóstico seja elaborado e que os tratamentos mais efetivos sejam realizados. Se cada vez mais compreendermos que pessoas com pensamentos ou tentativas de suicídio necessitam de apoio e tratamento adequado, mais pessoas poderão buscar auxílio, havendo mudanças positivas em suas vidas.

Que no setembro amarelo e nos outros meses do ano estejamos mais atentos a nós mesmos e às pessoas ao nosso redor. Que façamos uma rede de proteção ao suicídio, uma rede em defesa da vida!

 

Leia Também As exigências do carro STJ afasta cobrança de IPI sobre mercadoria roubada Concessões e privatizações para salvar o Estado Economia versus política