23º Domingo do Tempo Comum.

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
O Evangelho de Jesus Cristo, segundo evangelista Mateus 18, 15-20 deste final de semana nos leva a uma séria reflexão e posicionamento como cristão temente a Deus. Pede-nos correção quanto a nossa conduta fraterna, ou seja, como agimos quando nos deparamos com o erro de um irmão, sabemos repreendê-lo carinhosamente ou cometemos maledicências junto a outros apontando a sua conduta? O Papa Francisco aponta três condições ou procedimentos para a correção fraterna: Caridade, verdade e humildade.
É lastimável a chamada "fofoca" que usamos muitas vezes para falar de alguém. Ela destrói, em primeiro, o nosso coração e nossa mente e em segundo lugar dá ensejo a maldade. Penso que ninguém está livre de faltas e defeitos e assim sendo, como termos a pretensão de apontar os defeitos dos outros? Coloquemos nossa imagem num espelho e observemos, atentamente, nossos olhos para ver o que eles refletem. Um olhar amoroso e sereno é capaz de colocar aquele que errou de volta e lhe dar a oportunidade de se corrigir e começar de novo. Jesus aceitava sempre os pecadores e os perdoava. Indicava-lhes o caminho que deveriam seguir para se redimir. Somos capazes de fazer o mesmo? Pensemos nisso.
Nesta semana (07/09) nos deparamos com comemorações para saudar a pátria brasileira. Falou-se em liberdade e berço esplendido
Diante do que estamos vivendo e presenciando todos os dias, penso que não temos nada para comemorar a não ser lamentar por tantas barbaridades cometidas e que continuam acontecendo contra toda a nação brasileira. O sentimento é de indignação e repulsa e ainda um sentimento de frustração e desesperança invade a todos. 
Deus salve os brasileiros. 

Leia Também Veículo usado por agricultor não pode ser penhorado Que venha o Grêmio, como ele é Pais procuram filhas desaparecidas Homens e a moda para as festas de final de ano