Laudo de insalubridade causa polêmica entre servidores municipais

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Entidades tradicionalistas estão prestigiadas

Neste período de comemorações pelo Rio Grande do Sul a fora, é bonito ver que em Passo Fundo as entidades, CTGs, grupos e departamentos, estão sendo prestigiados pela população. Antigamente se dizia que a maioria das pessoas ia às rondas por ser de graça. Pois bem, já há alguns anos vem sendo cobrado, especialmente o café de chaleira e mesmo assim centenas de participantes te prestigiado. Mostra que a cultura gaúcha, que tem como perfil confraternizar, aproximar as pessoas e renovar a nossa tradição, está muito viva. Claro que podemos melhorar, incentivando as crianças e os jovens a participar do movimento, pois com certeza assim estarão se ocupando com algo que irá ajudar muito na sua formação pessoal e psicológica, por isso o tradicionalismo deve estar presente nas escolas públicas, com os pais e professores incentivando esta pratica.

 

Laudo de insalubridade causa polêmica entre servidores municipais

A Prefeitura de Passo Fundo contratou, por licitação, uma empresa para atualizar o laudo pericial de insalubridade de funções exercidas por servidores municipais. A iniciativa vinha sendo cobrada há muito pelo Tribunal de Contas, pelo laudo em vigor ser muito antigo e, portanto desatualizado. Acontece que com este novo levantamento, muitas funções perderam o benefício e outras ganharam. Quem ganhou, é claro, está satisfeito com o laudo, afinal é um dinheirinho a mais que entra, mas quem ganhava e perdeu não se conforma e contesta o laudo. Uma grande polêmica que só será resolvida se houver um novo estudo que comprove possíveis erros no laudo apresentado. Está bem claro que o município não faz objeções, apenas cumpriu o encaminhamento legal da situação. O Sindicato terá que investir em outro laudo para contestar e, quem sabe, recuperar o benefício de quem perdeu. A possibilidade em análise, de o sindicato entrar com um mandado de segurança, para anular o decreto que validou o laudo, vai defender que perdeu, mas também vai prejudicar quem ganhou.

 

Se o problema do Estado é financeiro, adianta fazer greve?

Este será o tema do programa Frente e Verso de sábado, pela Rádio Planalto, a partir das 10 horas. Os professores deflagraram recentemente uma nova greve, que tem como justificativa todas as dificuldades na área da educação pública, mas principalmente pelo atraso e parcelamento dos salários. O mérito é indiscutível, penso que o Estado deveria até sonegar contas, mas manter em dia o salário dos trabalhadores é injusto e humilhante esta situação, mas o Governo tem o direito de optar e definir as suas prioridades. Eu quero acreditar, por tudo que se sabe que o Estado vive uma crise financeira e que o parcelamento não está sendo feito para judiar e sim por necessidade. Então, adianta fazer greve? Será que vai mudar alguma coisa ou só cria um novo problema, principalmente para os alunos, que no meu entender são os mais prejudicados? Participe com a sua opinião!

Leia Também GPS é medida útil é barata para o Interior Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais” Transporte coletivo entre boatos e incertezas Lombada eletrônica na Vila Jardim só para o final de janeiro