Expedição a Durazno

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

Semana passada alguns sócios do Passo Fundo Fusca Clube, juntamente com alguns bons amigos, realizaram a aventura que muitos fusqueiros sonham e que uma pequena parcela realiza: uma longa viagem a outro país, de Fusca.

Após tomar conhecimento pelo Facebook de um possível encontro de Fuscas no Uruguai, os amigos buscaram mais informações junto ao organizador, Adrian Taroco. Confirmando que realmente o evento ocorreria nos dias 23 e 24 de setembro, iniciaram a preparação para a viagem. Primeiro foi criado um grupo no Whats App para reunir os interessados e começar a discutir sobre a aventura. Depois, algumas reuniões e então, no dia 21 de setembro passado, 11 carros partiram de Passo Fundo rumo ao Uruguai. Pelo caminho carros de Caxias do Sul, Nova Prata e Santa Maria juntaram-se à expedição.

A romaria chamava atenção na estrada, tanto pelo espantoso número de Fuscas, Variants, TLs e Kombis rodando enfileirados, quanto pelo colorido dos carros, contrastando com o monótono preto, branco e prata da atualidade. Nas paradas para abastecimento os curiosos cercavam o comboio admirados. Todos tinham uma história junto a um Fusca e se sentiam felizes em partilhar com os expedicionários. Ao final da quinta-feira já estavam todos na cidade fronteiriça de Santana do Livramento para o pernoite.

Na sexta-feira dia 22, logo cedo partiram rumo ao destino final pelas ótimas estradas uruguaias. Nas pequenas e antigas cidades uruguaias, a caravana não passava despercebida. Ao final da tarde, enfim, o destino: Durazno.

O evento aconteceu na Parque de la Hispanidad, espaço mantido pela Intendência de Durazno. O clima de tranquilidade, alegria e amizade, além do amor pelos antigos VW a ar e um ensolarado final de semana, reuniu uruguaios, argentinos e brasileiros em uma bonita confraternização.

Domingo ainda cedo a expedição despediu-se de Durazno para alcançar o pernoite antes do escurecer. Na segunda-feira, ao fim da tarde, todos os carros e seus condutores já estavam em terras passo-fundenses, depois de mais de 1.800 km percorridos, nenhuma quebra e nem mesmo um pneu furado.

De toda essa aventura pode-se destacar que, mais importante que aventurar-se pelas estradas, mais satisfatório que submeter seus antigos Fuscas a um longo percurso e vê-los triunfar, mais recompensador que conhecer novas e lindas paisagens e lugares, o que realmente importa é estar entre amigos, celebrar essa amizade e dividir com eles essas pequenas alegrias que o Fusca proporciona, como poder ir a outro país para encontrar-se com desconhecidos que tem o mesmo carinho pelo carro mais amado do mundo.

Parabéns a todos que levaram o nome de Passo Fundo, do PFFC e do Fusca brasileiro até o Uruguai, através da Expedição a Durazno. 

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito