Familiares x câncer

Postado por: Caroline Garcia Silva

Compartilhe

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), assim como ocorre com o paciente diagnosticado, os familiares também sofrem das dúvidas e inseguranças referente a doença.

Tanto o paciente, quanto os familiares (cuidadores) sofrem de problemas de ordem emocional. Os transtornos psicológicos como depressão e ansiedade acabam sendo diagnosticados. A notícia do diagnóstico de câncer é o sentimento de incerteza relacionado aos problemas e as mudanças que todos terão que passar, pode-se citar algumas: dificuldades econômicas geradas pelos gastos com o tratamento; ocultação do diagnóstico como forma de minimizar comentários indesejáveis; surgimento de conflitos familiares que prejudicam o suporte necessário; necessidade de constantes adaptações e mudanças nos hábitos de vida; perda da saúde e papeis anteriormente exercido pelo paciente; impossibilidade de realizar e construir projetos de vida; redução da renda; encurtamento do período de vida.

Os familiares (cuidadores) precisam se adaptar a sua nova função, se reorganizar na sua rotina. A rotina do tratamento começa a introduzir os familiares em um mundo que amedronta, desconhecido, o mundo da doença. O estresse acaba ocorrendo em função das demandas e das consequências do tratamento, como internações, quimioterapias, cirurgias e sessões de radioterapia.

Pesquisas indicam que tanto o paciente, quanto o seu principal cuidador precisa ser tratado com atenção especial. O atendimento psicológico é fundamental neste processo, pois o bem-estar psicológico do paciente e do seu cuidador é essencial para que possa identificar fatores emocionais que interferem neste momento, ajudando a dar um significado na experiência do adoecer.

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”