Não exagerar

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Infelizmente muitas comunidades, para sustentarem suas atividades sociais e religiosas, necessitam organizar promoções que lhes garantam os recursos ne­cessários ao devido sustento. As pessoas não têm consciência das necessidades existentes, por isso, são comuns, os sorteios em rifas beneficentes, festas popu­lares, bailes, festivais e outras promoções populares, de acordo com a tradição de cada lugar. E não raro, os exageros são comuns e parecem fazer parte da programação em curso.

Em certo lugar, um festival de chopp se tornou uma tradição da região. A bebida era servida livremente em canecões de meio litro. Os exageros eram comuns e se tornaram tão habituais que ninguém mais estranhava as ocorrências policiais provenientes desta promoção. Tudo parecia tão normal e corriqueiro, que a festa só terminava na madrugada ou quando realmente extrapolavam dos limites.

Depois de serem registradas muitas ocorrências na delegacia policial e fei­tos, durante a semana, muitos comentários a respeito do grande festival, o pároco chamou a atenção de um dos organizadores:

- Muitas pessoas passaram dos limites neste festival! – dizia para entabular um diálogo com a comissão organizadora.

- Eu sempre digo – observou um dos administradores – as pessoas devem se divertir, mas não exagerar. Eu penso que vinte chopp chega, mas não exage­rar. Tudo acontece quando se exagera.

O pároco, percebendo que não estava falando com a pessoa certa, pediu para marcar uma reunião com todos os festeiros, organizadores do festival, para fazer uma avaliação da promoção. Mas o interlocutor, logo atalhou:

- Na reunião eu vou insistir em colocar limite: somente vinte chopp, por­que senão começam a exagerar. 

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018