Enquanto a chuva não vem

Postado por: Adalíbio Barth

Compartilhe

Em visita mensal, para a celebração da missa, numa capela do interior, um grupo de homens me aguardava ansiosamente. Mal deu para estacionar e o carro já foi cercado.

- Padre, temos um assunto para conversar antes da missa – expressou-se o presidente da comunidade.

- Ah sim, o que aconteceu?

- Este homem aqui – e apontou para a vítima - está dizendo que não adianta rezar para chover. Que é coisa da natureza e ali ninguém mexe.

A região sofria devido a uma seca bastante prolongada. Nas intenções da missa constavam várias pedindo chuva.

- Então vamos fazer o seguinte: no começo da missa a gente senta e fala desse assunto – completei.

Todos entraram na capela, leram as intenções da missa e cantaram o canto inicial.

Pedi para que todos se assentassem. Havia umas cem pessoas na capela, e abri­mos a discussão sobre a eficácia da oração para pedir chuva. Todos falavam e davam sua opinião. No final, pedi para que levantassem o braço quem acha que adianta rezar para pedir chuva. Todos levantaram, menos o que sustentava sua tese contrária.

- Vamos, então, fazer o seguinte, dizia-lhes: Rezamos para que chova em todas as roças, menos na sua – e indicava o referido senhor.

- Ah não! – reagiu imediatamente -. Vocês querem matar minha lavoura. Vocês não entenderam o que eu quis dizer. Eu disse que não adianta rezar para chover, mas não se deve rezar para não chover – completou.

A comunidade caiu na gargalhada e a missa prosseguiu. Lá pela metade da celebração, durante um canto, o polêmico senhor veio-me até o altar para pedir se estava rezando contra ele. “Não” – respondi-lhe baixinho. “Fique tranquilo. Deus vai abençoar a sua lavoura, com uma boa chuva”. E retirou-se feliz da vida.

 

Leia Também William II Elo passado-presente-futuro Sujeito descansado Maneiras de usar o floral nesse verão 2018