Senado transfere à Justiça Militar julgamento de crimes contra civis

Compartilhe


O Senado aprovou em caráter definitivo um projeto que permite que militares da Forças Armadas que cometerem crimes dolosos contra civis sejam julgados pela Justiça Militar. Como é originária da Câmara e não foi alterada pelos senadores, a proposta segue agora para sanção presidencial. A matéria foi aprovada por 39 votos favoráveis e oito contrários, após o PT e a Rede orientarem a rejeição do texto.

De acordo com o projeto, os crimes cometidos por militares contra civis não serão mais julgados pelo Tribunal do Júri em casos que envolvam ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), como quando governadores de estado pedem o envio de efetivos do Exército, Marinha e Aeronáutica para o controle de situações de emergência. A discussão do projeto gerou polêmica, especialmente pelo fato de não haver um prazo para vigência da medida e devido à situação atual do Rio de Janeiro, onde militares agem em apoio aos policiais em comunidades, como a favela da Rocinha.

Atualmente, segundo o Código Penal Militar, alguns crimes relacionados a atividades militares são julgados pela Justiça Militar, exceto se forem cometidos de forma intencional contra civis. Caso o projeto seja sancionado, sairão do escopo da Justiça comum crimes contra cidadãos cometidos nas seguintes situações: cumprimento de atribuições estabelecidas pelo presidente ou pelo ministro da Defesa, ações que envolvam a segurança de instituição militar ou de missões, atividades de natureza militar, operação de paz e atribuição subsidiária das operações da GLO.



Fonte: Agência Brasil

Leia Também Justiça Federal realiza audiência para tratar da reintegração de posse na "Beira-Trilho" de Passo Fundo Situação de emergência em 20 cidades gaúchas pelo temporal Simpasso pede impugnação do ato que retirou insalubridade e periculosidade de servidores municipais Estudante dispara contra colegas, mata dois e deixa quatro feridos em Goiânia