Para bancos o governo tem dinheiro

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

A polêmica exposição de artes, do Santander, em Porto Alegre, interrompida rapidamente, no mês passada, que trazia entre as ilustrações imagens de pedofilia, zoofilia, blasfêmia e orgia, também deu origem a um livro, denominado Queermuseu, distribuído para as bibliotecas públicas do Estado. Não vou nem aprofundar aqui o que penso desta iniciativa e da validade deste livro. O que me indigna é saber que esta publicação teve o apoio financeiro do Governo Federal e da LIC – Lei de Incentivo a Cultura. O Santander teve mais de 7 bilhões de reais em lucro, em 2016 e neste ano, só no primeiro trimestre já lucrou mais de 2 bilhões de reais. Ou seja, dinheiro tem de sobra, não precisa o Governo botar o dinheiro do povo nisso. Enquanto isso falta médicos, falta consulta, falta segurança, falta tanta coisa no nosso Brasil e para a maioria o governo não tem dinheiro para atender as necessidades básicas da população. É uma vergonha ter um Governo que age assim, uma política de interesses escusos e corruptos e pior sermos comandados por estes malditos.

 

Autonomia entre os poderes garante a democracia

Por mais que tenhamos muitos corruptos e ladrões do povo no Congresso Nacional, tem muita gente séria lá, tentando trabalhar com dignidade e no futuro virão muitos outros. O país ainda vai se livrar desses políticos canalhas e assassinos dos nossos direitos, por isso defendo que o Poder Legislativo não pode ficar a mercê do Judiciário. A Justiça, se quiser, pode sim investigar e punir políticos corruptos tem todos os mecanismos para isto. Então querer se meter na conjuntura do parlamento, dar ordens sobre quem fica e quem sai, não é papel do Judiciário, que também, neste momento, está sob suspeita. Essa queda de braço é muito ruim para a democracia, para a liberdade, melhor o Judiciário fazer a dele e não “meter a mão nesta cumbuca”.

 

Nova lei arrebenta com os pequenos açougues

Quem lida com o comércio de carnes sabe que a margem de lucro é muito pequena, não chega a 10%. A nova lei, que entrou em vigor recentemente obrigando os proprietários de açougue a embalar carnes, a investir em refrigeração, higiene dos ambientes e outras exigências fiscalizadas de perto pela vigilância sanitária que está de olho na procedência do produto, fez com que muitos comerciantes desistissem do negócio, por não ter dinheiro para fazer este grande investimento. Agora em outubro a fiscalização está apertando e quem não fechou e não atendeu as exigências vai fechar agora, pois as multas são pesadas. Então somente irão sobreviver os grandes açougues e tomara que esta nova lei realmente venha para dar mais segurança à saúde dos consumidores. A nova lei prioriza quem compra carne, mas infelizmente não pensou em quem vivia deste negócio e mesmo sem estar adaptado com a mudança, prestava excelente atendimento, tinha uma clientela fiel e sobrevivia disso. Uma pena ver bons comerciantes desistindo do ramo.

 

Dizem por aí... Que se o Judiciário fizer a parte dele, cumprir o dever de casa, já estará fazendo muito pela política do Brasil. Será verdade?

Leia Também Rodízio de Trabalhadores Grandes empresas de Passo Fundo prestam contas à cidade “Bom dia a todos e a todas” O perigo das páginas anônimas no Facebook