O hábito e o mau hálito

Postado por: Neuro Zambam

Compartilhe

“À medida que o caminho se tornava cada vez mais automático, os ratos começaram a pensar cada vez menos” - esta afirmação é retirada de um livro chamado “A força do hábito” que visa chamar atenção para as contradições e virtudes das rotinas e demais costumes que orientam nossas atividades cotidianas. Ela é fruto de uma pesquisa com ratos que respondiam a diferentes estímulos para mudar a sua rotina. Os pesquisadores em comportamento humano gostam desses experimentos e os comparam com as reações humanas.

Tal afirmação pode ser entendida de inúmeras formas e nos educar para reagirmos a diferentes situações, estímulos, desafios e a superação de hábitos e hálitos inconvenientes.

O hábito de escovar os dentes, usar desodorante, tomar banho todos os dias, ir ao trabalho e outros, contribuem para a estruturação de inúmeras rotinas que tornam nossa vida mais produtiva e, em certas situações, robotizada.

Pequenas atitudes que uma pessoa vai desenvolvendo ao longo do tempo, e não precisa ser por longos períodos, pode gerar “inúmeros hálitos” que se tornam insuportáveis para quem está no entorno.

Aquele trabalhador que se habitua com o mesmo caminho quando se dirige para o trabalho, é incapaz de perceber que existem outros, às vezes mais agradáveis e com melhores atrações. Podemos perceber outros que durante a vida permanecem na mesma atividade e seus hábitos geram inúmeros hálitos que apodrecem as relações, os móveis, as pequenas e grandes atividades.

Outras situações revelam hábitos que prejudicam a evolução do ambiente e reduzem a pessoa a um cubículo cujo habitante se acostuma com a mofa e os papéis e sequer percebem que surgiu o tablet, o Whats App ou mesmo o e-mail. Mudarmos a rotina com certa frequência auxilia para que ampliarmos nossa visão.

Se os ratos diminuem sua “capacidade de pensar”, quanto mais se habituam a rotinas e se acostumam com o mesmo caminho, o que não será dos seres humanos cuja característica mais importante é exercitar a sua capacidade de pensar?

As acomodações e faltas de iniciativa estão diretamente relacionadas com pequenas ações como aquela que nos livra do mau hálito.

Esse escrito breve pode nos ajudar a olhar melhor que está por perto e perceber como as pequenas mudanças geram grandes revoluções. O contrário, azeda nosso ambiente e nossas relações.

            

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito