Inusitados acessórios do Fusca

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

O carro mais amado do mundo também é também o que teve mais acessórios a disposição. Nosso Fusca sempre foi tão espartano e desprovido de acessórios de fábrica que o mercado de paralelo sempre foi um grande negócio. Hoje vamos expor alguns acessórios de época que a muitos de nós nunca viu e a maioria nem sabia que existiam.

1 – Rádio portátil – Em uma época em que os carros eram feitos mirando o menor preço possível, rádio automotivo era um luxo que quase nenhum modelo trazia de fábrica. Assim, na década de 60 a GE (Genereal Eletric) lançou o Rádio Portátil Corvair GE, que era um rádio a pilha (8 pilhas) que podia ser instalado no carro com uma alça magnética para fixação. O painel com os botões ficava na parte de cima e o rádio já vinha com um auto-falante embutido. Ou seja, era um rádio comum que você pendurava no carro, na lambreta ou no ombro, para curtir a sonzeira das ondas AM e OM onde estivesse.

2 – Banco dianteiro interiço – a propaganda prometia que com o banco dianteiro interiço, fabricado pela Cardecor, 3 pessoas poderiam confortavelmente viajar na frente, no Fusca. A primeira pergunta era sempre “e o freio de mão?” A segunda pergunta era “tem certeza que é confortável?” Não vendeu quase nada.

3 – Calota com chave – foi lançada em 1964 e a ideia era segurança. Imaginemos que na década de 60 houvessem muitos ladrões de calotas e você quisesse evitar ser roubado: calotas com chave era a solução. Também prometia maior segurança na estrada, pois não soltava da roda e, de quebra, também não fazia barulhos.

4 – Moto-lek – esse foi um grande mico. Prometia aumentar a vida útil do motor, mas na verdade só prejudicava. Era um tipo de quebra-vento para ser instalado acima do capô do motor, nas aberturas para refrigeração, para mandar mais ar frio para dentro do cofre do motor.O detalhe é que essa abertura acima do capô é uma saída de ar e não uma entrada.

5 –Kon-tak-tron – novamente a preocupação com a segurança. Era um Sistema anti-furto baseado em um conector de 18 pinos muito parecido com uma escova de pregos. O conector fêmea, que ficava no porta-luvas, permitia a partida do automóvel somente se o conetor macho, com os pinos, estive conectado. O ruim era carregar no bolso esse ouriço.

6 – Barraca de teto – esse acessório volta e meia vemos em propagandas de época e é comercializada, sob encomenda, até hoje. Instalada como um bagageiro no teto do carro, era montada ali mesmo. Desse jeito, você acampava no teto do carro, acessando a barraca por uma escadinha e ficando a salvo de cobras e outros bichos rasteiros. O ruim era viajar com um paraquedas no teto.

Lembra de mais algum acessório bizarro ou inusitado que os besouros usavam no passado? Conte para a gente aqui nos comentários. Grande Abraço.

Leia Também 33º Domingo do Tempo Comum. O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito