30º Domingo do Tempo Comum.

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Eu vos amo, Senhor, minha força. Salmo 17(18),2.
Evangelho de Jesus Cristo, segundo evangelista Mateus 22, 34-40 narra o encontro de Jesus com os saduceus, quando um doutor da lei, como acontece nos tempos de hoje, querendo ser superior a Jesus e o colocando à prova faz a pergunta: "Mestre qual é o maior mandamento da lei"? Prontamente Jesus responde: "Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito. Esse é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este: Amarás teu próximo como a ti mesmo. Nesses dois mandamentos se resumem toda a Lei e os Profetas".
Penso que não precisaríamos tantos códigos de conduta e tantas leis para reger o mundo e as pessoas, se, observássemos esses dois mandamentos, unicamente. Amar a Deus como nosso criador. Pai misericordioso, o principio e o fim de tudo e de todos e ao próximo como a nós mesmos, é absolutamente o suficiente para que a humanidade viva em paz, em harmonia, observando todos os preceitos do amor, da justiça e da igualdade. No momento da concepção Deus coloca em nós a capacidade de amar. É Deus que nos torna capazes de amar. Se o verdadeiro amor estivesse presente na atitude e comportamento dos seres humanos, o sofrimento, a violência e a desigualdade não existiriam. O mundo seria perfeito como Deus o sonhou e o propôs. 
Peçamos a Deus que nos dê a capacidade de amar e que conduza nossa jornada rumo ao próximo, especialmente aqueles mais necessitados, numa atitude de amor e solidariedade e  assim Ele estará sendo amado de todo coração e com toda a nossa essência. 
Temos nos amado para também amarmos o irmão com o mesmo amor que Deus quer que amemos?
Reconhecemos que a capacidade de amarmos, uns aos outros, vem de Deus que gera esse amor em todos?

Leia Também 3º Domingo do Tempo Comum. Que seja feita justiça no caso “Lula” “A verdade vos libertará” (João 8, 32) Absolver é dar um viva à imoralidade