Câmara de Vereadores de Passo Fundo homenageia MTG pelos seus 51 anos

Compartilhe

Vestido, lenço, bombacha e um amor desmedido pela cultura gaúcha: a noite de sexta-feira (27) foi tomada por essas características na Câmara de Vereadores de Passo Fundo, momento em que o Legislativo foi palco de uma homenagem aos 51 anos do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). Em uma solenidade proposta pela Mesa Diretora, foram exaltados os trabalhos realizados pelo Movimento que busca o resgate e promoção da cultura do Rio Grande do Sul.

O presidente da Câmara, Patric Cavalcanti (DEM) conduziu a homenagem e manifestou sua satisfação em poder celebrar o cinquentenário da organização. “São cinco décadas de uma entidade que está entre as maiores da sociedade brasileira”, exaltou Patric. Para o presidente do Legislativo, o potencial do movimento se deve, em parte, à atuação das entidades que integram a organização e possibilitam o fortalecimento das atividades. “São quase 1700 entidades juridicamente constituídas e quase um milhão e meio de associados. O MTG chega aos seus 51 anos carregando a história de imortais, de tradicionalistas do passado e do presente. Mas usa desta história para preparar os gaúchos para o futuro”, exclamou.

A dedicação empregada pelos tradicionalistas que mantem as atividades do Movimento também foi destacada pelo parlamentar. Ele salientou, que muitas pessoas assumiram responsabilidades pela coordenação do MTG e, também, das demais regiões tradicionalistas. “Agradeço a cada pessoa que se dedica para que este movimento continue sendo um lugar de famílias e amigos, e desejo vida longa a ele, relembrando que cabe aos jovens manter viva esta tradição”, citou. Ele lembrou, com carinho, do trabalho da 7ª Região Tradicionalista (RT), que integra a cidade de Passo Fundo. “Em sua intensa participação e representação nos eventos mais importantes do Estado, a 7ª RT tem, orgulhosamente, acumulado títulos. Todo o trabalho desenvolvido faz dela o braço forte do norte do Estado na tradição”, considerou.

Embora muitas datas tenham sido consagradas na história do Movimento Tradicionalista, foi no dia 28 de outubro de 1966 que, oficialmente, a trajetória dessa organização teve início. Na ocasião, acontecia o 12º Congresso Tradicionalista Gaúcho, realizado em Tramandaí, e que culminou na organização de uma associação de entidades tradicionalistas constituídas. A partir desse evento, a instituição se tornou conhecida como Movimento Tradicionalista Gaúcho, o MTG.

Através da atividade campeira, artística, literária, recreativa e esportiva o Movimento vem consolidando suas atividades não só no Rio Grande do Sul. Além das oito Federações e da Confederação Brasileira, as atividades são disseminadas internacionalmente, pelos, cerca de, 20 núcleos espalhados por diferentes países, entre eles, Argentina e Uruguai, que compõe a Confederação Internacional da Tradição Gaúcha. O presidente do MTG Nairolí Antunes Calegaro atribui essa expansão a Paixão Côrtes, fundador do CTG 35. Para Calegaro, o movimento iniciado por Côrtes, há 70 anos, foi responsável pelo resgate da identidade, dos valores, da cultura e dos principais aspectos tradicionalistas do Rio Grande do Sul.

“O que norteia, o que encaminha e o que é a mola propulsora de todo esse processo é o encontro de todas essas gerações. O Movimento Tradicionalista Gaúcho, Os CTGs não fazem uma festividade para uma determina geração, ele inclui a todos e, então, ele inclui as famílias. É uma forma muito agregadora”, defendeu. “Como diz o nosso grande mestre Paixão Cortez, o movimento tradicionalista organizado deixou de ser de galpão, de fogo de chão e se tornou universal, porque ele transcende as fronteiras do Rio Grande e do Brasil. Ele se voltou para o mundo de uma forma muito particular, porque o gaúcho, independente de fazer parte do movimento tradicionalista, carrega esse sentimento de pertencimento no nosso Estado, na nossa cultura e na nossa formação”, reforçou Calegaro.

Passo Fundo, cidade considerada a mais tradicionalista do Estado, tem uma participação importante no movimento estadual. Para a coordenadora da 7ª RT Gilda Galeazzi, um dos aspectos que o município tem destaque é na participação feminina. “Hoje, já temos um número expressivo de mulheres, são sete em um universo de trinta homens. A nossa responsabilidade enquanto liderança é muito grande”, citou.

O vereador Evandro Meireles (PTB), representante do movimento na Câmara, também se manifestou. O parlamentar reforçou que a comunidade tradicionalista está bem representada no Legislativo e que o movimento gera orgulho em todos os seus participantes. O vereador é um dos integrantes do Departamento de Narradores da 7ª RT.

A solenidade foi marcada pela entrega de uma placa de Honra ao Mérito ao presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho e, contou, ainda, com a apresentação dos músicos da 7 Região.

Foto: Dilerman Zanchet (Rádio Planalto)

Leia Também CTG Lalau Miranda garante presença na final do Enart ENART inicia com grande expectativa Carazinho volta a vivenciar os tempos de Seara da Canção Prêmio MTG de Jornalismo será entregue no Enart