Talento na quadra e o restante é com o TJD

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe
Olá, amigos internautas!
Sobre os acontecimentos de sábado à noite no Ginásio Capingui, vamos deixar para o julgamento do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação. As versões e material de embasamento para provas serão apresentados, inclusive com relatos dos dois presidentes de equipes aqui em reportagem do Portal rdplanalto.com.  Quando se destaca a parte jurídica, não há espaço para palpites e chutes, mas uma abertura de espaço para acusação e defesa, com contraditório, em que se chega a uma sentença. Justa ou não, é lá na sala do tribunal que a questão vai se decidir.
Há que se ressaltar que são duas belas equipes, muito bem distribuídas em quadra, com excelente comando e duas torcidas apaixonadas. Tudo fizeram e estão fazendo para  chegar à vaga na Liga Gaúcha, já alcançada pela Uruguianense, que, por seus méritos, correu atrás de uma quase eliminação contra o Lagoa para chegar à vitória pelas semifinais diante da AFF. 
Se esperava que tudo ficasse definido, e ainda pode se definir, dentro de quadra. Verdadeiramente, o jogo não terminou. Faltam sete minutos, número cabalístico, o que é um tempo significativo para um jogo de futsal. O Parobé está ganhando por 1x0 e um empate garantirá a vaga passo-fundense. Caso o marcador não seja revertido, ainda haverá uma prorrogação com a vantagem para o representante da capital do Planalto Médio.
Há que se destacar a paixão das torcidas. Os visitantes fizeram sua festa na arquibancada, ocupando o seu espaço. No tocante à massa de Passo Fundo, ela demonstrou toda a sua paixão e que sabe que seu lugar precisa ser recuperado na elite do futsal do Rio Grande do Sul. Ainda é um jovem projeto, com quatro anos, e que vem alcançando bons resultados, com a gestão liderada pelo presidente Attílio Gonçalves, contando com o apoio dos conselheiros e patrocinadores.
A Força Jovem deu um espetáculo à parte e o público em geral soube ajudar o time, cantando e incentivando, principalmente após o gol adversário. Além da velha guarda, foi possível verificar nas arquibancadas muitas famílias. É para elas que o esporte deve ser feito.
Havia um grande número de crianças e elas devem ser incentivadas a comparecer sempre, pois serão o futuro da plateia. Que desse problema, surjam grandes ensinamentos. Perder e ganhar é do esporte. Existem adversários e não inimigos. Terminado o jogo, a vida segue e a amizade continua, o que vale desde os profissionais até os amadores.
Nosso apoio à direção do Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil, que tem trabalhando incansavelmente para que a cidade possa contar com uma equipe de qualidade na quadra. Tudo foi preparado para que o espetáculo transcorresse normalmente. Depois do julgamento, a vida seguirá e a bola precisa continuar rolando. 
Não existe "tapetão". Existe Justiça Desportiva. Que ela faça o melhor!
E nossa torcida sempre pelo crescimento do futsal!

Até a próxima! Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também O Enart, de novo! A importância de ter uma recepcionista/secretária preparada em seu consultório. Feito é melhor que perfeito Transporte coletivo entre boatos e incertezas