Projeto Letramento em Programação impacta sete municípios da região

Postado por: Amilton Rodrigo de Quadros Martins

Compartilhe

O Instituto Ayrton Senna lançou em 2015, o Letramento em Programação, cujo intuito é formar educadores de diferentes áreas do conhecimento para promover a prática da Programação em escolas públicas do país. O projeto foi iniciado em parceria com a Prefeitura de Itatiba-SP e hoje impacta centenas de estudantes do Ensino Fundamental do município.

Unindo esforços por um mesmo propósito, a IMED e o Instituto Ayrton Senna trouxeram o Letramento em Programação para o Norte Gaúcho: no segundo semestre de 2016 foram iniciadas atividades em 12 escolas dos municípios de Marau, Passo Fundo e Sananduva. Em 2017 as atividades aconteceram em sete municípios: Carazinho, Coxilha, Lagoa Vermelha, Marau, Passo Fundo, Sananduva e Tapejara, atingindo em cerca de 300 alunos de 22 escolas municipais dos módulos I e II, respectivamente 6º e 7º anos do Fundamental.

Em setembro, as professoras multiplicadoras Desire Meira, Irani Ruani e Jussana Ferrari, do Letramento em Programação Norte Gaúcho e a Coordenadora Adjunta Professora Ariane Pazinatto, participaram da Conferência Scratch Brasil 2017 que aconteceu na USP em São Paulo.

A professora Irani Ruani de Passo Fundo, destacou a relevância na participação do evento, pois a mesma encaminhou um trabalho para apresentação da experiência que a mesma está vivenciando com o programa Letramento em Programação no CEMAE Passo Fundo, o trabalho apresentado foi: O letramento digital como possibilidade no desenvolvimento de habilidades sócio-comportamentais em alunos com TDAH e comorbidades, que tem como objetivo melhorar a qualidade das relações interpessoais dos alunos no ambiente escolar, resgatando autoestima e diminuindo sintomas de oposição a aprendizagem formal. A Professora cita que “Particularmente, vivi uma experiência ímpar nestes dias da conferência, em relação ao aprendizado, as ótimas companhias de viagem e, quero elogiar o pessoal do Instituto que possibilitaram nossa participação e que nos acolheram com muita atenção e carinho”.

A professora Jussana Ferrari de Carazinho, cita que “tanto a viagem quanto a conferência foram bem além de minhas perspectivas. Nas palestras pude aprender um pouco mais sobre o funcionamento e objetivos do Scratch, e novas técnicas de sua utilização. Um dos trabalhos que mais chamou a minha atenção foi aquele realizado por alunos de 4 e 5 ano, pois serviu para demonstrar que é possível trabalharmos com alunos de anos anteriores ao 6 ano”.

Também, a professora Desire Meira de Passo Fundo, diz que lhe inspira muita a frase do pesquisador do MIT Leo Burd: “desenvolver tecnologias que facilitem a expressividade humana, a comunicação entre as pessoas e a relação do ser humano com a máquina”, e ainda cita que “sem sombra de dúvidas a participação na Conferência Scratch 2017, fez e irá fazer muita diferença, estar no meio destas experiências foi simplesmente incrível. E que venham os novos desafios, é com eles que nos tornamos mais desafiadores.

Em 2018, a expectativa da parceria é consolidar o Letramento nos municípios parceiros e atrair mais municípios para a parceria, apoiando a formação de um polo educacional de vanguarda na região, sendo referência nacional na prática da Programação de Computadores na Educação Básica, seguindo tendências mundiais com esse objetivo.

Com o objetivo de coroar todo o fantástico trabalho realizado em 2017, será realizada a formatura chamada TechOscar no dia 11/11/2017 (Sábado) das 14:30 às 17:30, nas dependências da IMED em Passo Fundo, onde os jovens poderão apresentar seus projetos finais para pais, professores e convidados, e ao final receberão o certificado de participação no projeto e medalha, no ato de formatura.

Professor Amilton Rodrigo de Quadros Martins

Líder InovaEdu – Laboratório de Ciência e Inovação para a Educação

 

Leia Também Falecimento de titular de firma individual causa a extinção da execução fiscal Treinamento psicológico e o efeito no grupo A ciência como ferramenta para a sabedoria Quebra-molas são permitidos, “em casos especiais”