FETAG cobra políticas compensatórias frente ao Mercosul

Compartilhe

 

 O presidente da FETAG, Carlos Joel da Silva, esteve com o ministro de Relações Exteriores e com o coordenador do Mercosul. O motivo da reunião foi retomar a pauta das importações de leite em pó do Uruguai e os problemas do Mercosul também com arroz, trigo e vinho.

“Eles têm conhecimento dos problemas causados pelo Mercosul aos agricultores familiares, sabem do que está ocorrendo, mas até agora não tomaram nenhuma medida. Cobramos a garantia de salvaguardas para o Mercosul ou que sejam criadas políticas compensatórias para o setor agrícola que está sendo diretamente penalizado”, afirmou Joel.

Ao mesmo tempo, o deputado Schuch disse que "infelizmente se confirmou o que já imaginávamos: o governo está absolutamente perdido no assunto. Apesar de manifestar a intenção de estabelecer cotas de importação, na prática não sabe como fazer. Foi o que ficou claro na audiência com o Itamaraty. É preciso decisão política para rever esse assunto dentro do Mercosul. Não é possível que a produção agrícola siga sendo prejudicada por acordos comerciais que beneficiam outros setores. O que o ministro sugeriu, e concordamos é que, se não tem como decidir a questão de imediato que, pelo menos, o governo adote outras medidas urgentes, como a compra de leite suficiente para enxugar o mercado interno", observou.

Adagir Coronetti, Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Tapejara, lembra que a Fetag está buscando incansavelmente a solução destes problemas do Mercosul e os agricultores estão preocupados. As entidades estão buscando a solução”, finaliza Coronetti.

Leia Também IBGE estima queda de 8,9% na safra de grãos em 2018 Município adquire 320 toneladas de calcário Grupo invade fazendas e destrói sistema de irrigação no oeste da Bahia Prefeitura de Água Santa auxilia na tosquia de ovelhas