Vestibular UPF oferta curso de Engenharia Ambiental e Sanitária

Compartilhe

 

A Universidade de Passo Fundo, por meio da Faculdade de Engenharia e Arquitetura (UPF/Fear)está ofertando, no Vestibular de Verão 2018, ingresso para o curso de Engenharia Ambiental e Sanitária. O curso foi remodelado apresentando nova nomenclatura e ampliação de atuação dos profissionais no mercado de trabalho.  Com diversos laboratórios ligados às engenharias e com equipamentos de última geração, o curso de Engenharia Ambiental e Sanitária conta com um currículo baseado na tecnologia e na gestão ambiental, voltado à prevenção e ao controle dos passivos ambientais.

 

De acordo com o coordenador do curso, professor Me. Éder Nonnemacher, o currículo foi formatado para que o aluno,  desde o primeiro nível, tenha conteúdo voltado para o mercado de trabalho. “O que mudou é o aumento no campo de trabalho do egresso. O novo curso contempla a parte da Engenharia Sanitária, possibilitando que o profissional formado possa atuar em projetos de infraestrutura de saneamento básico, como em redes pluviais de drenagem, sistemas de esgotamento sanitário, sistemas de abastecimento de água, controle sanitário do ambiente e saúde pública, além das atribuições já existentes no curso de Engenharia Ambiental”, explicou.


Desde o ingresso no curso, os acadêmicos utilizam a estrutura de laboratórios e se inserem em atividades de pesquisa e extensão. Segundo Nonnemacher, a otimização dos conteúdos em relação ao currículo atual possibilitou a inserção de disciplinas chamadas dentro de um “Projeto Integrador”, no qual os alunos desenvolverão atividades práticas que integram ensino, pesquisa e extensão.


Metodologias ativas

As aulas do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária serão ministradas por meio de metodologia ativa, que se baseia na premissa de as aulas serem expositivas, não limitando-se a um contexto no qual o professor passa o conteúdo e o aluno é somente ouvinte. Nesse perfil, o docente assume o papel de articulador e de mediador no processo de aprendizagem, que, muitas vezes, é baseada na resolução de um problema central. “O aluno interfere no processo de ensino, por meio da aprendizagem colaborativa e dos trabalhos em grupo. Além disso, o método permite que o acadêmico desenvolva o conteúdo discutindo problemas, ofertando autonomia na busca do conhecimento e de ferramentas inovadoras, tais como as associadas à  tecnologia da informação”, destacou.


Mercado de trabalho

Com uma infraestrutura invejável composta por laboratórios e espaços para aprendizagem, além de um qualificado corpo docente, o curso de Engenharia Ambiental e Sanitária prepara profissionais para atuar em empresas de tecnologia ambiental; órgãos públicos e empresas de construção de obras de infraestrutura de hidráulica e saneamento; empresas e laboratórios de pesquisa científica e tecnológica. O profissional também poderá atuar de forma autônoma, em empresa própria ou prestando consultoria“O engenheiro ambiental e sanitarista formado pela UPF atuará nos aspectos do relacionamento homem-meio ambiente e seus efeitos na cultura, no desenvolvimento socioeconômico e na qualidade de vida. Será capacitado para supervisionar equipes de trabalho, realizar estudos de viabilidade técnico-econômica, executar e fiscalizar obras e serviços técnicos e efetuar vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres, além de desenvolver atividades de pesquisa”, ressaltou Nonnemacher.


Vestibular UPF segue com inscrições até 13 de novembro

A UPF está com inscrições abertas para o Vestibular de Verão 2018 para ingresso em cursos de graduação na modalidade presencial. Nesta edição, estão sendo oferecidas 58 opções de cursos em Passo Fundo e cursos nos campi Carazinho, Casca, Lagoa Vermelha, Sarandi e Soledade.

 

A inscrição deve ser feita via internet, pelo site vestibular.upf.br, até o dia 13 de novembro. A prova, que acontece no dia 18 de novembro, está dividida em dois grupos: 1 e 2. Os candidatos aos cursos do Grupo 1 farão somente a prova de Redação, e os candidatos aos cursos do Grupo 2 farão as provas de Redação, Língua Portuguesa, Literatura Brasileira, Língua Estrangeira, História, Geografia, Matemática, Física, Biologia e Química. As provas do Grupo 1 serão das 14h às 15h30min, e as do Grupo 2, das 14h às 19h.

 

O engenheiro ambiental e sanitarista será capaz de:

·         adquirir conhecimentos sólidos das ciências fundamentais de base para a engenharia (matemática, física, química e biologia), das ciências ambientais (água, ar e solo) e das tecnologias de controle ambiental;

·         participar de atividades técnicas que envolvam o planejamento ambiental do território, controle, monitoramento e avaliação da qualidade ambiental, controle de atividades poluidoras, desenvolvimento de sistemas de gerenciamento de riscos de atividades produtivas e de áreas urbanas;

·         apresentar a capacidade de diálogo técnico-científico, com profissionais que tradicionalmente atuam na área ambiental e sanitária;

·         apresentar a capacidade de atuar em equipes interdisciplinares e de obter o conhecimento dos fundamentos da metodologia científica para que possa coordenar grupos multidisciplinares e atuar de forma integrada com outros profissionais da área tecnológica em atividades relativas à preservação da qualidade e à minimização de impactos ambientais;

·         possuir visão crítica da política ambiental e atualização dos movimentos sociais que tratam da temática ambiental;

·         gerenciar os recursos hídricos;

·         atuar na gestão e no tratamento de água, resíduos sólidos, efluentes industriais, efluentes domésticos urbanos;

·         realizar projetos e acompanhamento operacional de sistemas de abastecimento de águas, de esgotamento sanitário urbano e de efluentes industriais, aterros sanitários, bem como sistemas de drenagem de águas pluviais urbanas;

·         planejar o espaço urbano e rural para conservação do solo e da água;

·         atuar no controle sanitário do ambiente e em todos os outros setores correlatos ao meio ambiente, como higiene e saúde industrial, entre outras;

·         avaliar adequadamente os impactos ambientais e à saúde gerados por uma determinada atividade produtiva e implementar programas de minimização desses impactos, mediante instrumentos de gestão ambiental e de produção mais limpa;

·         realizar licenciamento ambiental e o diagnóstico do meio físico de atividades e empreendimentos, elaborar estudos de impactos ambientais, de monitoramento e mitigação de impactos, procurando prover meios para sua conservação, pela educação, planejamento, prevenção e proteção dos recursos naturais renováveis e não renováveis;

·         interferir em sistemas ambientais complexos, com uma visão multidisciplinar, e avaliar os impactos do uso dos recursos naturais e das fontes energéticas e de projetos de desenvolvimento;

·         buscar, na análise e no desenvolvimento de processos ou práticas operacionais, a concepção de um produto final ecologicamente correto e desejável;

·         atuar na elaboração de estudos de viabilidade, no desenvolvimento de projetos e na execução de serviços relacionados a sistemas e processos de tecnologia ambiental, bem como na concepção, implantação e operação de sistemas de gestão ambiental de empresas, indústrias e instituições públicas e privadas;

·         atuar em agências reguladoras, consultoria técnica e controle de qualidade ambiental;

·         atuar como perito na emissão de laudos e auditorias para avaliação de riscos e impactos ambientais, decorrentes da instalação e operação de empreendimentos, ou de acidentes ambientais.

Foto: Gelsoli Casagrande

Leia Também Vestibular da UPF neste sábado: cobertura é pela Planalto Presidente Nacional da OAB recebe medalha da Universidade de Passo Fundo “Oliver - O espetáculo continua” Premiados os vencedores do 1º Prêmio Literário Cidade de Passo Fundo