32º Domingo do Tempo Comum.

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Neste domingo a Palavra de Deus nos convida e nos ensina a virtude da "prudência" . Na primeira leitura do livro da Sabedoria 6,12-16 nos deparamos com o exercício da sabedoria. Sempre que abrirmos o Livro da Sabedoria encontraremos uma riquíssima coleção e diretrizes para o nosso bem viver. Devemos fazer deste um manual diário de como proceder como cristãos. Na segunda leitura do apóstolo Paulo às comunidades de Tessalonicenses 4,13-18 nos diz que aquele que crer que Jesus morreu e ressuscitou, crê também que o Senhor Deus os levará à glória eterna.
O relato do Evangelho, segundo evangelista Mateus 25, 1-13 compara o Reino dos Céus a dez virgens que saíram com suas lampadas ao encontro do esposo. Cinco delas, sem prudencia esqueceram de levar o óleo para acendê-las e as outras cinco se muniram do óleo. No meio da noite, porém, veio o esposo. As que estavam preparadas, acenderam suas lampadas e foram com ele para a sala das bodas, fechando a porta de entrada. Mais tarde as outras (não preparadas), chegaram e não conseguindo entrar, imploraram: "Senhor, Senhor, abre-nos". Mas, diz o evangelho que o Senhor não as conheceu.
Assim é com todos nós. Na vida precisamos sempre ser prudentes; estar prontos para qualquer acontecimento ou emergência que possa advir. Na falta da prudencia, surge a tolice e com ela sérias consequências. A precipitação, a excessiva pressa nas nossas decisões poderá levar ao fracasso. Junto com a prudencia vem a humildade. Reconhecer nossas limitações procurando, com cautela e prudencia, saber onde se pode ou não tomar uma atitude ou intervir em alguma situação. Existem situações que podem ser benéficas e importantes para nós e deixam de ser para os outros. Penso que o certo, antes de tomar uma decisão ou atitude, é a oração. Invocando o Espírito Santo e contando com a graça de Deus estaremos sempre com nossas "lampadas acesas",
Bom Domingo na paz do Senhor.

Leia Também 3º Domingo do Tempo Comum. Que seja feita justiça no caso “Lula” “A verdade vos libertará” (João 8, 32) Absolver é dar um viva à imoralidade