Lombada eletrônica na Vila Jardim só para o final de janeiro

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

A licitação que o Daer irá realizar para reativar lombadas eletrônicas em 23 faixas da região norte do Estado deve acontecer ainda neste mês, porém o prazo, otimista para a instalação dos novos equipamentos é para o final de janeiro, isso se não houver nenhum problema com a contratação. Enquanto isto, moradores e estudantes da Vila Jardim, permanecem em alerta para evitar principalmente atropelamentos. Crianças e professores, da escola Antonino Xavier, em manifestação na semana passada pediram atenção dos motoristas para reduzir a velocidade ao passar pelo local, mesmo com a lombada desativa. Nos horários de entrada e saída da escola são os momentos mais tensos para a comunidade. Tomara que os condutores atendam este pedido, pois muitos acidentes podem ser evitados, se houver responsabilidade de quem está ao volante. A lombada está desativa desde o final de junho, lá se vão 5 meses, isso mostra também a falta de planejamento e competência por parte do Governo.

 

Câmeras de vigilância para o interior

Para o próximo ano muitas câmeras de vigilância, para ajudar na segurança pública, deverão ser instaladas pela cidade. O projeto Guardião, que terá sede na nova sala de operações da Brigada Militar, é o que se tem de mais viável, no momento, para prevenir a ação da criminalidade. Diante de tudo que tem acontecido até mesmo um latrocínio recentemente, é preciso antecipar uma etapa deste projeto e priorizar o interior, instalando câmeras nas comunidades onde existe sinal de internet. Claro que a cidade é importante, mas é possível distribuir de forma justa a tecnologia. Não só para coibir crimes, mas também para motivar quem está lá fora nas propriedades e continuar a sua vida e o seu trabalho. Se a segurança no interior não for priorizada, as localidades tendem a ficar abandonadas.


Pequenas atitudes, grandes diferenças.

Diariamente faço contato com muitos órgãos públicos e chama atenção que na maioria deles as pessoas atendem ao telefone, como se estivessem em casa. É algo tão simples atender dizendo um bom dia ou boa tarde e de onde é, mas não, os servidores atendem ao telefone dizendo simplesmente “alô”. Pode até não parecer, mas um atendimento responsável faz toda a diferença. Nos pequenos detalhes é possível observar o comprometimento com aquilo que se faz.


Dizem por aí... Que um grande empresário de Passo Fundo, do ramo de farmácias, está se preparando para participar da licitação do transporte coletivo. Será verdade?

Leia Também Transporte coletivo entre boatos e incertezas O caos nas emergências dos hospitais Interior protesta contra o Judiciário Assassino de comerciante na Cohab está solto