Antecipada entrega de sementes de milho e sorgo na segunda etapa do Programa Troca-Troca

Compartilhe

A Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR) autorizou nessa terça-feira (28) o início da entrega de sementes do Programa Troca-Troca de Sementes – Etapa II/Safrinha. Serão distribuídas 27.325 sacas de sementes de milho e sorgo, beneficiando 9.667 agricultores familiares vinculados a 181 entidades da agricultura familiar. A liberação das entregas foi antecipada este ano pela SDR, para que o produtor possa adiantar o plantio, o que deve resultar em maior produção e menor risco de influências climáticas do período do verão.
Conforme o diretor do Departamento de Agricultura Familiar e Agroindústria da SDR, José Alexandre da Silva Rodrigues, a antecipação das entregas foi possível porque a SDR acelerou os processos burocráticos que dão suporte à ação. “Historicamente, as entregas se iniciavam em meados de dezembro”, lembra o diretor. A expectativa de Rodrigues é que as lavouras sejam concluídas ainda em dezembro, resultando em folga no calendário de agrozoneamento e plantio.
Nesta etapa, o valor total contratado chegou a R$ 5.958.108,00, sendo que o Estado participa com subsídio de R$ 1.158.166,80. Para o secretário da SDR, Tarcisio Minetto, o apoio à produção de milho é estratégica na agricultura familiar, pois o cereal é fonte de proteína para alimentação animal, fundamental para a produção na cadeia leiteira e importante para a rotação de culturas.
Criado em 1988, o Programa Troca-Troca de Sementes leva ao campo sementes de milho e sorgo com subsídio de 28%. Com essa ação, o governo do Estado estimula o aumento da produção e da produtividade, gerando desenvolvimento e qualidade à vida dos agricultores, fixando-o no meio rural e garantindo sustentabilidade ao setor. Aproximadamente 25% da área a ser plantada com milho é feita com sementes do Troca-Troca. 

Leia Também Rossato e Tonial: crescimento com os pés no chão IBGE estima queda de 8,9% na safra de grãos em 2018 Município adquire 320 toneladas de calcário FETAG cobra políticas compensatórias frente ao Mercosul