Travou a licitação do transporte coletivo

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Covarde decreta a morte de um jovem do bem

Ainda chocado com a morte do meu compadre Natan, faço uma reflexão do caso, semelhante a tantos outros do nosso dia a dia, apenas com a mudança de personagens. Antigamente as brigas eram de socos e chutes, hoje é na base do tiro, da facada. Hoje em dia, um covarde qualquer pega uma arma e por motivos banais, atira e decreta sem piedade a morte de uma pessoa de bem.  Ainda querem dizer que pena de morte não existe no Brasil, só não existe no código penal, para fazer justiça, mas na realidade ela está em vigor, sendo executada por bandidos, traficantes, drogados, enfim pelo lixo da sociedade. Como Cristão, sou contra vingança, a solução não é por aí, mas também não critico quem pense diferente. As leis neste país são muito brandas, o sistema carcerário está falido, os criminosos estão impunes, o Estado cada vez mais omisso, nos deixando indefesos, contamos com nós mesmos, pois esperar por polícia e por justiça é correr risco demais.

 

Bebida está ou não proibida nas ruas

O que estamos vendo nas ruas de Passo Fundo não é nenhuma surpresa, eu já sabia que a lei que proíbe beber em via pública não iria dar em nada. A Brigada tem vontade de pegar os fora da lei, mas fica só nisso, falta condições, não tem policial e nem estrutura para realizar este trabalho. Inclusive tenho a impressão que o pessoal está bebendo até mais nas ruas, do que bebia antes da lei. O Ministério Público tem que cobrar do Estado que tome providências, interferindo inclusive nas regras para a abertura de bares, que funcionam exclusivamente para a venda de bebida alcóolica. As leis funcionam no começo, depois perdem o valor, ficam apenas no papel, por negligência de muitas instituições. Ou os órgãos públicos se mexem, ou a situação que está descontrolada vai ficar irreversível.

 

Travou a licitação do transporte coletivo  

Mesmo que uma empresa tenha apresentado proposta para assumir o transporte coletivo urbano de Passo Fundo, creio que esta licitação já era. O fato da Coleurb, principal prestadora do serviço atualmente, não participar e ainda ingressar na justiça pedindo a suspensão do processo, vai fazer com que esta licitação se arraste por tempo indeterminado. A Transpasso se sabia de antemão que não iria participar, devido às exigências do dito edital. O Executivo diz que o edital seguiu a risca o que determina o Tribunal de Contas do Estado. Não é a primeira cidade que isto ocorre, em Porto Alegre também foi assim. O TCE só atrapalha os municípios e prejudica os processos com a sua postura de moralidade, uma pena que só cobra isso para algumas coisas, em outras inclusive não dá nem exemplo. O que vai acontecer agora é difícil prever. O transporte público não pode parar, então continua tudo como está, até uma decisão da Justiça, o que não é ruim para a população, pois temos um dos melhores transportes públicos do país. Enquanto isso, os trabalhadores da Coleurb estão todos apavorados, com medo de perder o emprego.


Dizem por aí... Que as leis que mais funcionam são aquelas que não estão no papel e que a pena de morte é o melhor exemplo. Será verdade?

Leia Também Linda ou ridícula? Muito obrigado Dom Urbano! O respeito à propriedade alheia CNBB: qual a nossa missão?