Um novo "elefante branco" em Passo Fundo

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Um problema que parecia estar sendo resolvido na nossa cidade está mais com jeito agora de se tornar uma grande dor de cabeça. O prefeito Luciano anunciou que o Záffari estaria comprando a área, doada pelo município a Manitowoc e junto com isto, iria ressarcir o prefeitura pelos investimentos de infraestrutura feitos no local. O retorno ao município seria de R$ 8 milhões. Quanto o Záffari pagaria pela área não veio a público, mas passa de R$ 20 milhões. Após este anuncio, outras empresas manifestaram interesse no mesmo negócio, inclusive aumentando o valor a ser ressarcido ao município. Com a polêmica criada em torno do assunto, esta negociação deverá sair da área comercial e passar para a área jurídica. Com certeza, se isso se confirmar, a disputa vai longe, muitos anos e teremos um novo elefante branco em Passo Fundo, pois o terreno continuará abandonado e se não houver um entendimento poderá até não ser ocupado por ninguém.

 

Querem ou não a Coleurb?

Desde que foi divulgado que apenas uma empresa apresentou proposta na licitação do transporte coletivo urbano de Passo Fundo, uma pergunta não quer calar, por que a Coleurb, principal empresa que presta o serviço atualmente na cidade, não entrou? Muito bem assessorada a empresa acredita que tem erro no edital da licitação e aposta no cancelamento, com isto um novo processo terá que ser aberto e enquanto isto segue tudo como está. Agora se a o Tribunal de Contas, se a Justiça não concordar com a ação da empresa, terá sido um “tiro no pé”. Mas fico pensando, tem muita gente que só reclama do transporte coletivo de Passo Fundo, no meu entender sem razão, pois temos um dos melhores do Brasil, mas estas mesmas pessoas agora não param de pensar na Coleurb, queriam que empresa participasse, inclusive acreditavam que ela seria a vencedora da licitação. Vai entender, a empresa está aí, prestando o serviço há décadas e só reclamam aí a empresa não participa da licitação e todo mundo fica apavorado, mas não era isto que queriam?

 

Leis na contramão

É proibido por lei em Passo Fundo ingerir bebida alcoólica nas vias publicas, às 24 horas do dia. No entanto, os proprietários de bar, que vendem exclusivamente bebidas alcoólicas incrementam mais e mais esta prática, para incentivar os consumidores, confiantes na falta de fiscalização do Estado. A prefeitura não tem fiscais para este trabalho e a Brigada Militar também não tem condições da dar cobertura, então apesar de toda a comemoração, quando a lei foi aprovada, na verdade não está servindo para nada.

 

Dizem por aí... Que um bar, no centro, que só vende bebida alcoólica, vai passar a funcionar 24 horas. Será verdade?

 

 

Leia Também Linda ou ridícula? Muito obrigado Dom Urbano! O respeito à propriedade alheia CNBB: qual a nossa missão?