Escola Aberta na pauta do Ministério Público

Compartilhe

A Promotoria de Justiça de Passo Fundo promoveu, na última terça-feira, 28, reunião para discutir os projetos que envolvem a Escola Estadual de Ensino Fundamental de Passo Fundo (Escola Aberta).

Durante a reunião, a promotora de Justiça Regional da Educação Ana Cristina Ferrareze referiu que “é urgente e necessária a reformulação do Projeto Pedagógico da escola e que o atendimento em turno integral virá ao encontro de um atendimento educacional de qualidade”.

Atualmente, a Escola Aberta passa por dificuldades, como a ausência de demanda para atendimento e falta de funcionários. A diretora da Escola destacou a necessidade da destinação de pelo menos um professor para dar continuidade aos trabalhos.

A Secretaria Municipal de Educação se comprometeu a verificar sobre a possibilidade de permuta e/ou cedência de um profissional para fazer a coordenação pedagógica da Escola. A 7ª Coordenadoria Regional de Educação também se propôs a apurar sobre a disponibilidade de um profissional para a escola.

Dentre as medidas que deverão ser implementadas pela Associação, que está à frente do projeto, destaca-se a reformulação do projeto pedagógico, a mudança da nomenclatura e a pintura do estabelecimento de ensino. Futuramente o projeto prevê, ainda, o funcionamento da Escola em turno integral e a inserção do EJA.

O Portal Ficai Online (Ficha de Comunicação do Aluno Infrequente) também foi apresentado durante a reunião.

Participaram do encontro representantes da Associação Escola da Nova Consciência, 7ª CRE, Secretaria Municipal de Educação, Escola Estadual de Ensino Fundamental de Passo Fundo, Conselho Tutelar de Microrregião II e servidores do MP Passo Fundo.

Leia Também Liga das Escolas de Samba lança o Carnaval 2018 Nesta quinta o último espetáculo da Cantata Natalina 2017 Faculdade de Educação da UPF comemora 60 anos UPF concede título de Doutora Honoris Causa à Lenita Wannmacher