Descaso com saúde pública

Postado por: Josué Longo

Compartilhe
Olá amigos! Hoje vou falar de um assunto que foi matéria no Jornal Hoje, da Rede Globo, e na Zero Hora nessa semana: as filas de espera para cirurgias eletivas pelo Sistema Único de Saúde - SUS.
O Conselho Federal de Medicina - CFM fez um levantamento solicitando dados dos Estados e capitais e o número apontado é alarmante. Temos no país 904 mil cirurgias pendentes, com algumas pessoas aguardando há 10 anos na fila. A situação é ainda mais preocupante se considerarmos que nem todos os Estados repassam informações, como é o caso do Rio de Janeiro e de Santa Catarina. Infelizmente, esse número deve ser bem maior do que o anunciado.
Minas Gerais é o primeiro do ranking, com 434.598 pessoas na fila, seguido por São Paulo, com 143.547, Goiás, com 55.192 e, em 4º lugar, lamentavelmente o Rio Grande do Sul, com 39.158 gaúchos aguardando por uma cirurgia.
Para se ter uma idéia de como a situação do nosso Estado está ruim, se compararmos com o Paraná, que tem praticamente a mesma quantidade de habitantes, temos mais que o triplo de cirurgias pendentes. No Paraná o número de pessoas na fila é de 11.431.
No Rio Grande do Sul a cidade de Gravataí lidera a lista, com 7.476 pessoas, bem a frente de Porto Alegre, que tem 1.910 esperas. O Secretário de Saúde de Gravataí, Jean Torman, ressaltou no jornal Zero Hora que essa situação “teve início a partir do governo Sartori, quando o Estado deixou de fazer os repasses aos hospitais”. Já o Secretário Estadual de Saúde em exercício, Francisco Paz, atribuiu “às mudanças promovidas pelo governo federal no pagamento das cirurgias eletivas aos hospitais”.
O que fica claro é que a saúde da população parece não ser prioridade para o Governo Federal e estadual, que empurra a responsabilidade e a conta para as prefeituras e para o povo arcarem. Não é a toa que a maioria dos municípios no Brasil investe em média mais de 20% em saúde, sendo que a obrigatoriedade constitucional é de 15%. E o povo mais carente, que não tem para onde correr, paga a conta duas vezes. Nos altos impostos cobrados e depois nas filas, sem o atendimento que por direito deveria receber.
Recursos existem, afinal, como também circulou nessa semana nos meios de comunicação, o presidente Temer vem oferecendo 3 bilhões aos prefeitos que pressionarem seus deputados para aprovarem a Reforma da Previdência. E o pior é que nem vergonha parece terem mais de barganhar apoio no Congresso. Mas isso é tema para a próxima semana. Por agora, compartilho minha indignação pelo descaso com a saúde pública no nosso país.


Você sabia:
As cirurgias mais demandadas pelos pacientes que aguardam na fila do SUS são de catarata, hérnia, vesícula e varizes.


Leia Também Divisão de Acesso: avanços e retrocessos no regulamento Xiii, o Grêmio está em Dubai! Não vamos deixar o Papai Noel roubar a cena O Severino do Grêmio!