Após três meses, termina greve do magistério no RS

Compartilhe



Durante assembleia com cerca de 2 mil filiados ao Cpers Sindicato, no Ginásio do Gigantinho em Porto Alegre, os professores da rede estadual decidiram nesta sexta-feira (8), encerrar a greve da categoria, que completou 94 dias. As aulas devem ser retomadas a partir da segunda-feira nas escolas afetadas total ou parcialmente pelo movimento. No mesmo dia, vai ser iniciada a organização para a recuperação do ano letivo. Cada escola deve formular um calendário próprio, a ser submetido ao conselho escolar e, se aprovado, à Coordenadoria Regional de Educação.

Desta vez, a maioria dos servidores acatou o posicionamento do Conselho do sindicato, que havia recomendado o fim da greve. O encontro, porém, terminou em princípio de confusão entre opositores e a atual direção da entidade. Apesar disso, ninguém se feriu com gravidade. Uma professora deixou o local prometendo registrar na Polícia Civil um boletim de ocorrência por ter sido atingida com spray de pimenta.

Na prática, o magistério encerra o movimento sem garantir a retomada do pagamento de salários e do 13º em dia. Em novembro, pela 24ª vez na gestão atual, o Piratini não conseguir pagar a folha dentro do prazo legal, que é o último dia útil do mês. Depois de 21 folhas parceladas, nos últimos três meses, a Fazenda passou a priorizar os vencimentos menores.

Sobre o 13º de 2017, ainda não há definição. Em 2016, o benefício teve de ser parcelado em 12 vezes. A Fazenda condiciona os recursos à venda de 49% das ações do Banrisul, adiada devido à queda da cotação, e também à adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, do governo federal. O Regime é contestado pelo funcionalismo, já que tende a impor mais seis anos de salários congelados para os servidores, em troca de perdão provisório da dívida com a União e da liberação de empréstimos para investimento.


__________________

Fonte: Rádio Guaíba

Leia Também Pais fazem filas para garantir matrículas na EMEI Santa Maria Inscrições para vestibular da UFRGS começam nesta segunda MEC pede mudança no horário de verão por causa do Enem Alunos da educação infantil imersos no mundo das artes