O egocentrismo de Lula!

Postado por: Dilerman Zanchet

Compartilhe

"Ninguém neste país é mais honesto que eu"!

Realmente. Pode ser difícil alguém em um país como este ser mais honesto do que o cara que é acusado de desviar milhões de reais de uma estatal, quando presidente da acionista majoritária da empresa.

Ninguém é mais honesto do que o cara que ganha um sítio reformado de uma empreiteira, por benefícios em empresas estatais e em outros países, na tal do “toma lá, dá cá”!

Ninguém é mais honesto do que o cara que vai para um comício claramente eleitoreiro, no Rio de Janeiro, e greita a plenos pulmões que seu amigo Sérgio Cabral, aquele ladrão condenado por roubar os cofres cariocas em bilhões, não merecia cadeia, pois “governantes que fazem pelo social não merecem ser presos”.

Ninguém é mais honesto que o cara que esteve por trás das falcatruas da Caixa, do BNDES e das articulações que levaram Cunha à presidência da Câmara, Renan no Senado e Temer como vice de sua indicada e substituta.

Ninguém é mais honesto que Lula, neste país.

E ninguém, com tais atos de honestidade explicadas, com mais de 10 milhões no exterior, com filho que deixou de ser preparador físico do Corinthians para ser bilionário enquanto o pai mandava no PT no Brasil e outros tantos fatos, merece mais cadeia que ele.

 “Não tem ninguém, neste país, mais honesto que eu”.

Ora, para uma pessoa que tornou-se conhecida no mundo todo graças ao fato de ter sido projetado por um sindicato (dizem que até trabalhou em metalúrgica, mas foi logo alçado à posição de sindicalista) e chegou à Presidência da República, Lula foi um meteoro.

O projeto de auxiliar a população de baixa renda, ao invés de oferecer condições dignas de trabalho a eles, foi tratado como um milagre. Talvez semelhante à multiplicação dos pães. Não sabiam, os seus prospectores infundados, que estavam diante de um homem comum. Como todos. Sujeito e passivo a críticas.

Endeusaram-no. Colocaram-no em um pedestal inalcançável para os mais necessitados.

Quem lhe aprova?

Quem lhe endeusa? Os ricos. Grande parte do funcionalismo público federal, professores universitários, principalmente os centros formadores da esquerda, e os socialistas de IPhone e carro importado.

Os intelectuais do Brasil são, em sua maioria, seus séquitos. E a minoria que não lhe é simpática é esquecida, preterida nas universidades, deixadas de lado diante do corporativismo da esquerda brasileira.

Os que não compactuam com seus ideais (?) têm a cabeça a prêmio todos os dias. A bandeja é oferecida pelos socialistas.

Mas, voltando ao assunto anterior: Os que tanto pediram a prisão de Eduardo Cunha, pelas falcatruas que fez e pelo impeachment, não querem saber das do Lula. Fazem de conta que não acreditam.

Atribuem à perseguição, golpe da mídia, fascismo, etc... Porém esquecem que fascismo, na tua intelectualidade, é coisa da esquerda radical, ou seja, nem a ler direito aprenderam.

Enfim, está chegando a hora da prisão de Lula. De o homem “mais honesto do Brasil” até a cadeia em Curitiba, a questão é de dias.

O mundo dá voltas, realmente.

E que não vá sozinho. Reservem espaço para Renan, Temer, Palocci e todos os que, se comprovados, usurparam o dinheiro do brasileiro. 

Leia Também Reconhecer o erro, pedir perdão, sinal de grandeza! O Mecanismo! Pace Sistema elétrico do Fusca