Morte não tem hora para acontecer

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

As funerárias da região estão enfrentando dificuldades de fazer o trabalho, diante do horário de funcionamento do Cartório Civil de Passo Fundo. Uma situação desta não pode virar polêmica, pois a necessidade das funerárias e das famílias que perdem um ente querido é tão lógica, que não cabe nem discussão. Assim como a doença, infelizmente a morte também não tem hora para acontecer, por isso é preciso chegar num acordo ou se altera a legislação e se permite a liberação dos corpos e se faça a certidão de óbito em outro momento ou o cartório mantém atendimento 24 horas. As duas opções são possíveis, o que não é possível é acontecer uma morte de madrugada e ter que esperar até o outro dia para liberar o corpo para velório e sepultamento, por pura burocracia. Por favor, tenham mais respeito com as famílias e também com quem está trabalhando.

 

Rede de informações da bandidagem

O assalto desta semana a um jovem empresário da nossa cidade mostra que a rede de informações da bandidagem funciona com muita competência. Alguém próximo passou a informação para os ladrões de que a vítima tinha dinheiro em seu poder. A maioria dos assaltos à mão armada é premeditada, dificilmente os bandidos escolhem aleatoriamente a não ser que a vítima de muita bandeira, daí é como diz o ditado “a ocasião faz o ladrão”. Confiança com quem se relaciona é a principal necessidade, mas está cada vez mais difícil saber em quem se confiar. O dinheiro fácil mexe com a cabeça das pessoas, fascina por isso os crimes estão banais. Essa história deste assalto não está bem contada e se a polícia conseguir investigar com certeza vai encontrar não só os autores, mas o informante também.

 

Todo o momento é oportuno para demagogia

Participei recentemente de um evento, que anunciou uma obra importante para o nosso Estado. Cheio de autoridades, muitos e longos discursos. Falou-se quase de tudo, tanto que o anuncio ficou em segundo plano, quase passou batido. Quem falou aproveitou para fazer propaganda pessoal, do seu partido, do seu governo, uma vergonha. Assim como fizeram na prova agora para soldado da BM. Conseguiram fazer política numa questão, promovendo o nome de um secretário estadual. Não tem perdão, a mínima oportunidade é aproveitada para fazer demagogia. Por isso que estamos vivendo uma crise moral sem precedentes na história do Brasil. Gestou como estes, grandes ou pequenos, matam a esperança de que as coisas estão melhorando.

 

Dizem por aí... Que o serviço de inteligência do crime funciona melhor do que o da polícia. Será verdade?

Leia Também Curiosidades sobre o Fusca Como fica o Congresso após a aprovação da Reforma da Previdência? Com sapato ou sem sapato O bom samaritano