As crianças do Papai Noel

Compartilhe

A figura emblemática do Papai Noel presta-se para inúmeras fantasias, sonhos, descobertas e planos. A recordação de como era e a comparação de como é hoje tem pouca relevância tanto familiar como infantil. Os tempos são outros e a realidade se move segundo outras orientações e objetivos.

A espera do Papai Noel é virtual, e não há sentido em apostar na espera de uma visita durante a madrugada. Contudo, todas as crianças são do Papai Noel.

Há um grupo que chama atenção eventualmente e sua situação é preocupante e desafiadora para o presente e ameaçadora no futuro. A obesidade infantil.

Em recentes pesquisas amplamente divulgadas, houve inúmeras referências à obesidade infantil e juvenil e suas consequências. Na verdade, nos últimos tempos esse tema é recorrente em diversos ambientes onde estão profissionais da saúde, da educação e lazer e da educação. Entre os pais e mães de família esse tema precisa repercutir com igual ou maior intensidade.

Em matérias divulgadas há pouco tempo, falam-se inúmeras vezes das campanhas para a necessidade de diminuição do consumo de alimentos que contribuem para o aumento do peso.

Teremos se não forem tomadas opções individuais, profissionais, políticas e públicas, números alarmantes de pessoas doentes, fracas e sedentárias com limitações e doenças que impedirão as mínimas relações sociais e os gastos que serão insustentáveis.

A maior preocupação, como destacado, é das famílias que deverão mudar os hábitos entre os adultos para, então, influenciar seja pelo exercício da autoridade, seja pelo convencimento, as novas gerações e reeducar as atuais.

Outros temores, talvez os mais preocupantes, se referem ao fenômeno da obesidade infantil e juvenil entre as classes mais empobrecidas. Isso porque a qualidade e quantidade aliadas ao custo dos alimentos possibilita maior consumo quantitativo e com qualidade inferior, em diferentes áreas, por exemplo, alimentos que engordam mais por causa da sua composição.

As demandas do mercado, ao que parece, não estão preocupadas com as consequências porque seus objetivos são de curto prazo e aliados ao lucro.

As pessoas precisam estar alertas. A reeducação alcança áreas antes inimagináveis. 

Leia Também O cão, o trigo e o Fusca Não incide IOF sobre fluxo financeiro em participação em sociedade “Enviados para testemunhar o Evangelho da paz” Solução para o atraso