O ano de 2017 foi novamente do "quase" para Passo Fundo

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe

Olá, amigos internautas!

O ano de 2017 está sendo finalizado e é tempo de realizarmos a avaliação dos acontecimentos, sejam eles positivos ou negativos para o nosso esporte passo-fundense. Poderia ter sido melhor, mas quase alcançamos os objetivos.

Em termos de participação dos atletas locais nas mais diversas modalidades foi um período interessante. Os atletas, especialmente apoiados pela Universidade de Passo Fundo, alcançaram pódios e conquistaram troféus. Há que se destacar o título estadual da segunda divisão e avanço para a elite do estado do Planalto Rugby Clube. O voleibol feminino da BSBIOS/UPF chegou novamente à decisão estadual, ficando com o vice-campeonato, o que evidencia a certeza do excelente trabalho desenvolvido. Nas artes marciais, Passo Fundo brilhou. Foi, fundamentalmente, o ano de concretização do sucesso do atletismo, com cerca de mil atletas participando das provas. Por todos os cantos da cidade e do interior sempre tem alguém correndo, não apenas em busca de medalhas, mas também da qualidade de vida. Foi um ano quase perfeito, com valorização do nosso esporte, que finalizou a temporada com o título amador do futebol de campo do Boca Júnior pela Primeira Divisão e do Grêmio Petrópolis na Segundona, que é promovido ao lado do Napoli, do bairro São Luiz Gonzaga.

No tocante à bola, novamente foi o ano do “quase”. O Esporte Clube Passo Fundo esteve a um ponto de escapar do rebaixamento à Divisão de Acesso. Depois de amargar uma série de cinco jogos sem marcar gol e longo período sem vencer, se despediu do campeonato ganhando do Brasil de Pelotas. Ficamos a imaginar o que poderia ter evitado a queda: a bola que bateu na trave do Cruzeiro, no empate por 0x0; a derrota inexplicável contra o Juventude (0x1), quando criou diversas oportunidades e não teve a qualidade para colocar a bola na rede e até mesmo o erro de posicionamento diante do campeão da Libertadores e vice-mundial Grêmio (0x1), quando no minuto final deixou Ramiro sozinho para finalizar. Mas, ser derrotado dentro de casa por São Paulo e São José custou muito caro. Agora é projetar a volta em 2018 e já tem, para tanto, definidos comissão técnica e grupo de jogadores. A pré-temporada terá início em 15 de janeiro.

Sobre o Gaúcho, o ano não foi além do razoável dentro de campo. Teve um início ruim, cresceu na segunda fase e terminou com a infelicidade de cruzar com o futuro campeão Internacional. Nesse caso, foi voto vencido o do presidente alviverde Gilmar Rosso, que desde o início alertou para o prejuízo técnico na Segunda Divisão com a presença dos aspirantes da dupla Gre-Nal. Assim, não foi possível sonhar com o retorno à decisão, como em 2016. Agora é projetar a próxima temporada, que será muito especial: o do centenário do Sport Clube Gaúcho.

Mas, o quase mais estrondoso foi na Série Prata. O Passo Fundo Futsal/Fasurgs/Zamil terminou o ano com a melhor campanha da competição e mesmo assim fora da final por um problema causado por terceiros. A decisão do TJD não foi favorável. Todo um projeto foi preparado para o acesso. Tinha tudo para dar certo: melhor campanha, melhor ataque, melhor defesa e maior número de vitórias. Quase deu. Mas, isso já começa a ganhar ares de passado. O olhar já está direcionado para 2018, com a manutenção da comissão e dos principais jogadores. O gerente de futsal foi anunciado, Tiago Bortolon, bastante competente e que foi um dos responsáveis pelo início da equipe em 2014.

Que o “quase” tenha ficado em 2017. Que no ano que está chegando possamos vibrar com novos títulos, acessos, recordes e novas revelações no esporte passo-fundense. Estaremos acompanhando cada passo dos nossos representantes na programação da Rádio Planalto!

Feliz Natal e Próspero 2018 a todos!

Leia Também Homenagem a clubes da cidade gera polêmica A mais equilibrada Série Prata dos últimos anos O que evitar quando há retenção de líquidos? ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA