Piratini deve aprovar adesão ao regime fiscal em janeiro

Compartilhe

Apesar de ser comemorado pela oposição como vitória e consequente derrota para o governo, o resultado da sessão plenária, que acabou sem a votação do projeto de aval da Assembleia à adesão do Estado ao Plano de Recuperação Fiscal, foi apenas um adiamento no cronograma do Executivo. 

Como técnicos da Secretaria da Fazenda e do Tesouro do Estado trabalham na elaboração da nova proposta de adesão do Rio Grande do Sul ao Plano, desta vez com base no exercício-financeiro deste ano, não nos dados de 2016, como a anterior, rejeitada pela Secretaria do Tesouro Nacional, o governo terá tempo para realizar a convocação extraordinária da Casa provavelmente no fim de janeiro. E deve aprovar a proposta.

Ao que tudo indica não haverá margem significativa de vantagem, mas o placar será favorável ao Piratini. 

Em última sessão, articuladores já reconheciam que a oposição teria êxito na estratégia de obstrução, devido ao tempo de duração das discussões, que obrigatoriamente teria de ser encerrada. 

A liberação dos aliados para usarem a tribuna e responderem as críticas da oposição, em defesa do projeto, foi colocada em prática justamente em função da análise de que a votação, de fato, não ocorreria. A tática, então, foi a de usar as discussões durante a sessão plenária para reforçar o discurso do governo.


____________________________

Fonte: Rádio Guaíba


Leia Também Vereadores discutem mudanças no regimento interno Ibope divulga pesquisa para segundo turno do RS Vereador Paulo Neckle demonstra preocupação com a saúde local TSE reúne hoje equipes de Bolsonaro e Haddad para discutir fake news