Caminhar com fé e esperança!

Postado por: Ari Antônio dos Reis

Compartilhe

Última semana do ano. Vê-se comemorações nos locais de trabalho, nas famílias, nos grupos de amigos. As empresas fazem balanços. Alguns fazem planos grandiosos na expectativa de um novo período que se aproxima.

Outros não são tão ousados. Não querem muito. Que seja um ano bom. Querem a saúde e o bem, para si e para os seus. A alma humana pede estas coisas. O resto pode vir por acréscimo.  

 Nesta época do ano surgem estes pensamentos e, outros tantos, projetando o futuro, planejando, buscando o melhor, tentando ser melhor.  

É próprio de um tempo de transição. É a dinâmica da vida. Como diz o poeta, “caminhar é preciso”. E vamos caminhando rumo a 2018. Não é possível ficar à beira do caminho. A vida segue com suas surpresas. E temos que guiar, ordenar, cuidar dessa vida.

Mas é bom dar uma parada. Todos precisamos. O ordenamento da vida exige paradas, momentos de reflexão. É o preço da lucidez existencial. Suspender as atividades e subir à colina da nossa existência e de lá contemplar o nosso caminhar no ano que está findando. Rever tudo o que foi feito, e o que não fizemos também. Há de ser uma contemplação crítica, sem condescendência para com mesquinhez, a omissão e o erro cometido.

 A autocrítica as vezes é dolorida, mas necessária. Permite, no futuro, fazer melhor, ser melhor. Nos momentos em que Jesus subia ao monte para rezar, aproveitava também para rever sua vida e sua missão diante do Plano do Pai. Não era coisa muito fácil, inclusive para o mestre.

Talvez isto não seja muito tranquilo para o ser humano. Mas, sempre a intranquilidade é um mal. Ela permite dar outros passos, assumir outros processos, quem dera, mais consequentes. A tranquilidade pode acomodar. Pode nos deixar a beira do caminho. A intranquilidade faz avançar.  Subamos à colina da existência para experimentarmos a saudável intranquilidade de olharmos para o ano que findou. E, se vermos coisas boas, agradeçamos a Deus; vamos sorrir porque foi mérito nosso e graça Dele.

Ao descermos, nos preparemos para o ano de 2018. Ele está chegando. O como vivê-lo depende de cada um. Algumas coisas estão sob controle. Outras não estão. Com o que temos sob controle dá para caminhar.  E, ao entramos nesta caminhada de 365 dias, nos abasteçamos de entusiasmo, de fé e de esperança. A caminhada pode ser árdua, difícil. Se for com esperança será mais leve.

 

Pe Ari Antônio dos Reis

Leia Também 11º Domingo do Tempo Comum. Programa Sustentabilidade Ambiental Empresarial será lançado pela ACISA Cuidado com o crime digital As pequenas ações