Novo ano, novos hábitos

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Todo mundo gostaria de uma fórmula mágica que melhorasse a saúde e a qualidade de vida e resultasse numa longevidade saudável.

Diariamente são publicados novos estudos que colocam em voga a importância de alguns fatores  para melhorar  qualidade de vida.

Muitos  desses,   visualizei quando realizei minha dissertação de mestrado com a população de Veranópolis, no qual é modelo  em qualidade de vida e longevidade .E nada melhor do que traçar novas metas num novo ano que se inicia.

Exercício físico: É uma peça chave para corpo e mente sã e, consequentemente, para uma vida saudável e equilibrada. Induz na produção de alguns neurotransmissores, hormônios e  elementos que diminuem os níveis de stress e proporciona-lhe tempo de qualidade para pensar e/ou meditar – o que melhora  bem-estar mental e emocional na sua vida em geral.

Alimentação Equilibrada: Adotar novos hábitos, reduzir a ingestão de sal, gorduras, bebida alcoólica , açúcares e produtos refinados fazem parte do primeiro  passo para melhorar a alimentação. Incluir mais fibras, frutas, verduras e melhorar a ingestão de água devem  ser prática constante .

Pensamento positivo: Este é um dos hábitos fundamentais da vida, até porque irá ajudá-lo a formar outros hábitos igualmente importante, sendo essa uma das formas e vida dos orientais . Os pensamentos negativos estão intimamente ligados ao fracasso , e tornam a pessoa mais propensa a depressão e alterações do sistema nervoso.

Importância da Religiosidade: Manter-se ligado a uma crença é algo que reflete  na melhora da resposta hormonal ,  ou seja, a pessoa pratica a fé, consegue manter – se com o pensamento positivo  e consegue melhorar a saúde.

Todos esses fatores devem estar em sintonia, chega de fazer planos , vamos colocar em prática????? Bom inicio de ano a todos nós.

Leia Também “A verdade vos libertará” (João 8, 32) Absolver é dar um viva à imoralidade Corrupção – recursos recuperados serão utilizados para saúde e educação O seu terapeuta é psicólogo?