País vai parar em 2018

Postado por: Ronaldo Rosa

Compartilhe

Olhando o calendário tudo leva a crer que este ano o país vai andar mais lento do que já está justamente num período onde decisões urgentes precisam ser tomadas e mudanças precisam ser colocadas em prática, para retomarmos o crescimento. Teremos 11 feriados em dia de semana e para piorar muitos caindo na quinta ou na terça-feira, prato cheio para um feriadão, principalmente nos órgão públicos. Além disso, é ano de eleição, no mês de outubro e todo o período de campanha, de 45 dias, que antecede. Mais ainda, teremos, a partir do mês de junho, a Copa do Mundo e neste caso, não só o Brasil, mas a maioria dos países vai parar, para acompanhar o futebol. Todos esses eventos devem incidir diretamente no desempenho da economia, das políticas públicas, dos programas sociais, da eficiência do setor público e pode ainda favorecer a corrupção, uma vez que o povo estará tão entretido, com tantas coisas, que poderá ser enganado e nem perceber.

 

Julgamento de Lula pode ser um divisor de águas

Nunca o julgamento de um político ganhou tanta importância no Brasil, como o que está previsto para o próximo dia 24. Caso seja condenado, o ex-presidente Lula estará fora do processo eleitoral, o que pode mudar toda a conjuntura política, com a tendência de termos um grande número de presidenciáveis. Mesmo com tudo em que ex-presidente e seu partido estão envolvidos, é inegável que seria um dos favoritos na eleição, não com o meu voto, claro, mas seria. Para mudar a nossa política o eleitorado teria que largar de mão de partidos como PT, PMDB, PSDB, só para citar os maiores e tantos outros, que há décadas estão envolvidos em corrupção, roubando os cofres públicos e a população.

 

Ares diferentes em Passo Fundo

Devido ao período de início do ano, férias, viagens, a cidade está vazia, em comparação com períodos normais do ano. Ainda temos um movimento de estudantes, que recuperam o período de greve dos professores em 2017, senão a cidade estaria mais parada ainda. Está melhor de andar no trânsito, melhor de caminhar pelas ruas, melhor de fazer compras, enfim muita coisa melhora com o movimento mais calmo. Em compensação em outros lugares, especialmente na praia a situação é inversa. Alguns gostam de movimento, outros de calmaria, isso muda o comportamento das pessoas e esta questão estará em análise no programa Frente e Verso de sábado, das 10h as 11h, na Rádio Planalto. Acompanhe e de a sua opinião!

 

Dizem por aí... Que se ex-presidente Lula não for condenado, concorre e volta a presidência para terminar de fazer tudo que começou. Será verdade?

Leia Também Pobreza de propostas em campanhas eleitorais Força política de Passo Fundo fica estagnada Indecisos estão optando por Bolsonaro Golpe Jurídico sendo colocado em prática