ECPF para 2018

Postado por: Cristian Queiroz

Compartilhe

Na sexta-feira, 05, o presidente do Esporte Clube Passo Fundo, Evandro Zambonatto participou do Debate Show de Bola comigo e com Ari Machado para falarmos sobre a preparação do time para a disputa do Acesso e as demais atividades do clube.

É do meu agrado o discurso do presidente quando ele fala que o EC Passo Fundo precisa mudar de patamar, que o ECPF precisa passar a ser um clube que disputa competições nacionais. Concordo muito com isso, até porque o que estamos vendo é um Campeonato Gaúcho cada ano mais enxuto, cada ano mais desinteressante, cada ano mais difícil para os times do interior. E onde isso vai parar? Bom, ou o estadual vai terminar ou alguma outra formula de disputa deverá passar a valer em um futuro não tão distante. Porque hoje, da forma em que está sendo disputado, me parece não ser bom nem para a dupla Grenal e nem para os demais clubes que participam.

O time que não ficar entre os oito classificados irá jogar 11 partidas no campeonato, destas 5 ou 6 em casa. O torcedor terá no máximo seis jogos do seu time no seu estádio. Fica difícil da torcida criar vínculo com o time da sua cidade se ele tem poucas oportunidades de vê-lo jogar. Fica difícil para um clube do interior formar um elenco, contratar uma comissão técnica, planejar uma competição que pode durar menos de dois meses. Fica difícil para a direção conseguir um patrocinador que pague para colocar sua marca em uma camiseta que irá entrar em campo apenas 11 vezes no ano. Por isso mudanças são necessárias o mais breve possível.

O presidente Zambonatto foi claro ao dizer que para que o clube mude de patamar é preciso uma mudança no pensamento das pessoas que participam da vida do time e também da torcida e da cidade como um todo. Concordo novamente com o Zambonatto, as pessoas que estão à frente do clube precisam ter essa visão de que o ECPF deve chegar, inicialmente, a uma série D do Brasileiro e a partir daí só subir, chegar quem sabe a uma série B nacional. Para acontecer o primeiro passo é o clube ter um projeto, sólido, viável e muito bem planejado. Esse projeto, sendo abraçado pela torcida, por empresários e pela cidade as coisas podem realmente acontecer.

Agrada-me o discurso do Zambonatto, espero que não fique apenas nas palavras e que ele, junto com sua direção e seus conselheiros, consiga colocar em prática todas as suas ideias apresentadas.

Na próxima quarta-feira, 10, acontece o jantar de aniversário do ECPF, o cardápio será Cordeiro assado e os ingressos estão sendo vendidos na secretaria do clube. Tá aí uma boa oportunidade para o torcedor participar da vida do clube, conversar com os diretores e conhecer a comissão técnica que será apresentada na noite.

 

Leia Também O EIA RIMA e os Estudos Ambientais Negritude como atitude política! A importância da informação da comunidade para a segurança Dia Mundial dos Pobres