Não estamos acostumados a ficar fora do Gauchão!

Postado por: Luiz Carlos Carvalho

Compartilhe

Olá, amigos internautas!

O Campeonato Gaúcho de Futebol, o popular Gauchão, terá a sua largada nesta semana que se inicia. Fica uma espécie de vazio, sem a participação de nossa cidade, acostumada às disputas da competição.

Historicamente, foram poucas as participações exitosas de nossos representantes, evidentemente, chegando à reta decisiva do regional, mas elas foram marcantes. Houve período em que a dupla Gre-Nal enfrentou muitas dificuldades para levar o bom resultado daqui, embora que na soma do placar o nosso currículo necessite de mais resultados positivos. Ficamos ainda restritos a uma recordação do início dos anos 70, quando o 14 de Julho derrotou o Internacional por 1x0, com gol de Pedrada. Vieram ao longo dos anos vitórias nas copinhas, com Passo Fundo e Gaúcho. O próprio tricolor do Vermelhão da Serra conseguiu vencer o Grêmio duas vezes pelo Gauchão de 1989, mas apenas nas penalidades máximas, após os empates do tempo normal.

Mesmo assim, nossa cidade é sinônimo de elite do futebol gaúcho. As médias de público por aqui são superiores às de grande parte das equipes. Esperamos que, a exemplo das vezes anteriores, seja uma breve ausência. Há toda uma expectativa em relação ao tricolor, que fez diversas contratações para a disputa da Divisão de Acesso. A comissão técnica, de muito boa formação acadêmica e com aspirações, projeta uma boa campanha. Se o time do Passo Fundo poderá subir, tudo reside no campo das possibilidades, mas ele aparece bem credenciado. É preciso chegar à fase final da competição e, então, estar preparado para o salto final. Por si só, falar em Passo Fundo é sinal de respeito pelos adversários, que sempre irão apontá-lo como time de chegada na Divisão de Acesso. É tempo de a torcida apoiar e vestir a camiseta do clube. Há que se apoiar o trabalho que tem à frente o presidente Evandro Zambonatto e demais integrantes de diretoria. Os resultados positivos virão com o apoio de todos.

O Gauchão começa em 2018, sob nosso olhar à distância, com as mesmas metas de sempre. Existem dois fortes candidatos ao título, Grêmio e Internacional, e o interior busca fazer história, como ocorreu com Juventude, Caxias e Novo Hamburgo nos últimos 20 anos. É a corrida contra o favoritismo. De outro lado, há um grupo lutando para permanecer na elite do estado e, com isso, ter acesso à valorização de suas cores e à verba oferecida pela televisão. É um campeonato de tiro curto e que, portanto, requer um erro mínimo.

De outra parte, ficamos também na expectativa de uma boa participação e também da subida do Sport Clube Gaúcho. Trata-se de um ano especial, o do centenário e, portanto, deve deixar também uma boa impressão no gramado. A semana que encerrou foi importante com a renovação do contrato com a BSBIOS, que também patrocina o Passo Fundo e o voleibol feminino local. O campeonato da Segunda Divisão ainda é uma incógnita, pois a Federação apenas irá reunir os clubes no início de fevereiro. Resta saber qual o modelo a ser adotado. Há uma rejeição à presença dos reservas da dupla Gre-Nal, como o Gaúcho sempre manifestou posição. Todo o trabalho de uma temporada pode ficar comprometido em um cruzamento de fase eliminatória. Há jogador dos times da capital que, sozinho, recebe o equivalente à folha de uma equipe do interior. Não há como competir. A teoria de que são onze contra onze aqui fica longe de ser aplicada à realidade. 

O presidente Gilmar Rosso está preparando uma série de atividades para as comemorações dos cem anos do Periquito. Estaremos fazendo o completo acompanhamento. Trata-se de um século de uma instituição que tem uma história marcante no futebol, reconhecida nacional e até internacionalmente, repleta de grandes craques. 

Até a próxima! Sejam felizes, vocês merecem!

Leia Também Valores e princípios Falar alto, falar pouco e falar bem Desembargador do TRF-3 libera frigoríficos de recolher FUNRURAL Sentimentos de igualdade