Imagem pessoal: sete coisas para não postar no Facebook

Postado por: Ionara Lermen

Compartilhe

* Ionara Lermen passa a oferecer aos leitores, a partir de hoje, às sextas-feiras, seus artigos no Portal rdplanalto.com

Você posta e compartilha tudo o que acha legal?  Cuidado! A rede social Facebook, com mais de 2 bilhões de usuários, pode dizer muito sobre sua personalidade. Além das regras de etiqueta digital e bom senso, existem traços pessoais bastante evidentes com determinados tipos de textos, compartilhamentos e principalmente fotos.

Pesquisas recentes indicam que compartilhamento de localização, fotos de academia, comida, selfies, divulgar as compras e estado sentimental são postagens recorrentes em pessoas com baixa autoestima. Será mesmo essa a imagem que você quer passar? Veja as dicas e revise seu perfil.

1.                  Confissões e Indiretas: Se você não diria pessoalmente aos seus amigos, mãe ou a um psiquiatra, por que você deveria postar no Facebook? Confissões de assuntos pessoais só geram informação em excesso e comentários vazios. Recados públicos para a amante do marido, a sogra ou um recente desafeto só mostram desequilíbrio emocional.

2.                  Palavrões: Legendas e comentários com palavrões podem até compor “seu estilo”. Porém de modo geral a imagem que você passa é a de falta de vocabulário ou vocabulário chulo.

3.                  Excesso de selfies: Se tem muita selfie, há solidão ou narcisismo. Além de fortes indícios de baixa autoestima. Com certeza essa não é a imagem que você gostaria de transmitir. Selfie acompanhada de uma legenda enigmática só pioram o quadro “depressivo”. Eventualmente não há problema, porém observe a galeria de alguém com muitas selfies e tire suas conclusões.

4.                  Fotos de suas compras e de comida: Aqui mais uma vez vale o bom senso. Eventualmente são aceitáveis. Frequentemente também demonstram futilidade e “falta de assunto”. Há exceções obviamente para quem também usa o perfil pessoal para expor produtos ou trabalha no ramo alimentício.

5.                  Localização e sentimentos: Indicar onde você está além de ser perigoso nem sempre passa uma boa impressão. Confesse, você já viu localizações hilárias que depuseram contra a imagem de alguém. Já o famoso “sentindo-se” também exige cautela. Sentir-se feliz, determinado, inspirado, em algumas circunstâncias, convém. Porém sentimentos negativos muitas vezes acompanhados de desabafos no estilo “textão”, não.

6.                  Opiniões Polêmicas: Comentários inteligentes ou textos com pontos de vista construtivos sobre cenários políticos, tragédias ambientais, assuntos da mídia de um modo geral podem ser positivos; Porém denegrir a imagem de instituições, credos, partidos ou especialmente de uma só pessoa publicamente mostra total falta de decoro. A crítica pela crítica pode causar barulho ou interação de momento, mas também pode denotar desequilíbrio emocional e carência.

7.                  Fotos Sensuais e Álcool: Está aí a mais polêmica das restrições. Como regra geral se você se preocupa com sua imagem profissional, fujam das fotos com roupas de banho -ou looks provocantes- ou ainda as fotos de noitadas com os amigos no final de semana. Se fotos assim vierem acompanhadas de legendas desastrosas no estilo “vida louca” não estranhe encontrar algumas portas fechadas no mercado de trabalho. Pense também nas oportunidades que nem chegaram até você após uma espiada no seu Facebook. Ou você tem dúvidas que os empregadores ou potenciais clientes olham seu perfil pessoal antes de entrar em contato? Não tenha.

Ionara Lermen é Publicitária. Especialista em Criação para Multimídias. Mestre em Comunicação e Semiótica. Atua com Marketing Digital em Io Mídia e Design.

Leia Também O político honesto e seu Fusca. Uma incrível história real. Sabedoria O seu voto possui ética? Os farroupilhas e os lanceiros negros!