Câncer de pâncreas: tratamento

Compartilhe

Após o diagnóstico e o estadiamento do câncer de pâncreas, o médico discutirá com o paciente as opções de tratamento. É importante ter tempo e poder avaliar todas as possibilidades terapêuticas. A decisão por determinado tipo de tratamento deve levar em conta o estado de saúde geral do paciente, o tipo de tumor, o estadiamento e se o tumor pode (ou não) ser removido.

Dependendo do tipo e estágio da doença e outros fatores, as opções de tratamento para pacientes com câncer de pâncreas podem incluir cirurgia, tratamentos de ablação ou embolização, radioterapia, quimioterapia e outros medicamentos. O controle da dor também é uma parte importante do tratamento para muitos pacientes. Às vezes, a melhor opção pode incluir mais de um tipo de tratamento ou uma combinação desses tratamentos.

Em função das opções de tratamento definidas para cada paciente, a equipe médica deverá ser formada por especialistas, como cirurgião, endocrinologista, radioterapia e oncologista. Mas, muitos outros profissionais poderão estar envolvidos durante o tratamento, como enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, assistentes sociais e psicólogos.

É importante discutir todas as opções terapêuticas, incluindo metas e possíveis efeitos colaterais, com seu médico, para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapta às suas necessidades. No entanto, pelo fato de ser de difícil detecção, o câncer de pâncreas apresenta alta taxa de mortalidade, por conta do diagnóstico tardio e de seu comportamento agressivo.

Portanto, o tratamento com uma equipe especializada é fundamental. O único tratamento curativo na maioria dos casos é o cirúrgico, que pode ser aliado a quimioterapia e/ou a radioterapia.

* A Fundação Cultural Planalto de Passo Fundo salienta que o texto reflete a opinião de seu autor.

Leia Também 25º Domingo do Tempo Comum. Municípios devem participar do censo SUAS O político honesto e seu Fusca. Uma incrível história real. Sabedoria