No RS, gasolina custa 15 centavos a mais que a média nacional

Compartilhe

Na semana passada, o valor médio da gasolina vendida nos postos brasileiros subiu em 13 estados, incluindo o Rio Grande do Sul, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Em 12 estados e no Distrito Federal houve recuo nos preços médios do combustível de petróleo e no Amazonas houve estabilidade.

Na média nacional, os preços nos postos subiram 0,10%, de R$ 4,194 para R$ 4,198 o litro entre a semana passada e a anterior. A maioria dos gaúchos paga um preço mais caro que a média nacional. No Rio Grande do Sul, a semana terminou com o litro da gasolina sendo vendido, em média, a R$ 4,359 – no início do ano, esse preço era de R$ 4,33. De acordo com a ANP, nas quatro últimas semanas, sempre houve aumento. No período, o preço avançou 0,6%.

Das 36 cidades gaúchas pesquisadas, apenas três tiveram preços inferiores ao da média nacional: Novo Hamburgo (R$ 4,089), São Leopoldo (R$ 4,13) e Sapiranga (R$ 4,177). Porto Alegre teve o preço médio do litro da gasolina em R$ 4,366 entre 21 e 27 de janeiro.

Segundo o levantamento da ANP, Bagé teve o preço médio da gasolina mais caro no RS. Na cidade da Fronteira, o valor médio do litro ficou em R$ 4,845 na semana passada. São Luiz Gonzaga (R$ 4,668), Alegrete (R$ 4,666), São Gabriel (R$ 4,597) e Gramado (R$ 4,59) também compõem o “top-5” das cidades com gasolina mais cara.

Apesar do preço acima da média nacional, a gasolina é mais vantajosa no Rio Grande do Sul, onde o preço do etanol atinge 90,09% do cobrado em média pela gasolina. O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, deve custar até 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.


________________

Rádio Guaíba

Leia Também Dólar fecha quarta em queda cotado a R$ 4,14 Bancos privados poderão fazer o depósito do PIS/Pasep Sistema de saque do PIS fora do ar em Passo Fundo Receita libera consulta ao segundo lote de restituição do IR 2018