Câncer de Vesícula Biliar

Compartilhe

A vesícula biliar é um pequeno órgão em forma de pêra, localizado sob o lobo direito do fígado. Ambos estão localizados atrás das costelas. Ela possuí cerca de 7 a 10 cm de comprimento e está conectada ao fígado e ao duodeno através da via biliar.

A vesícula biliar armazena e concentra a bile, um líquido produzido no fígado que ajuda na digestão das gorduras dos alimentos e é liberada pela vesícula duodeno em resposta ao estímulo do alimento ingerido como parte do processo digestivo. Ela ajuda no processo digestivo, mas não é indispensável para a vida. Muitas pessoas têm a vesícula biliar removida e vivem uma vida normal.

Cerca de 90% dos cânceres de vesícula biliar são adenocarcinomas e se iniciam nas células com propriedades semelhantes às glândulas que revestem as superfícies internas e externas do corpo, incluindo o interior do sistema digestivo.

Um fator de risco é algo que afeta sua chance de adquirir uma doença como o câncer. Diferentes tipos de câncer apresentam diferentes fatores de risco. Ter um fator de risco ou mesmo vários, não significa que você vai ter a doença. Muitas pessoas com a enfermidade podem não estar sujeitas a nenhum fator de risco conhecido. Se uma pessoa com câncer de vesícula biliar tem algum fator de risco, muitas vezes é difícil saber o quanto esse fator pode ter contribuído para o desenvolvimento da doença.

Fatores que podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver câncer de vesícula biliar:

Cálculos Biliares: Os cálculos biliares são o fator de risco mais comum para o câncer de vesícula biliar. Esses cálculos biliares são rígidos, como formações rochosas de colesterol e outras substâncias que se formam na vesícula biliar e podem causar inflamação crônica. Em torno de 75% das pessoas com câncer de vesícula têm cálculos biliares quando são diagnosticadas. Os cálculos biliares são uma condição muito comum, mas o câncer de vesícula biliar é muito raro. E importante mencionar que a maioria das pessoas com cálculos biliares nunca desenvolverá câncer de vesícula biliar.

Vesícula Biliar em Porcelana: A vesícula em porcelana é uma condição na qual a parede da vesícula biliar fica coberta com depósitos de cálcio. Ocorre após longos períodos de inflamação da vesícula biliar. Pessoas com esta condição podem ter um risco maior de desenvolver câncer de vesícula biliar.

Gênero: O câncer de vesícula biliar ocorre com mais frequência em mulheres. Os cálculos biliares e a inflamação da vesícula biliar são dois fatores de risco importantes para o câncer de vesícula biliar. 

Obesidade: A obesidade é um fator de risco para cálculos biliares.

Idosos: O câncer de vesícula biliar pode ocorrer em pessoas mais jovens, mas é diagnosticado principalmente em pessoas mais velhas. A idade média das pessoas quando são diagnosticadas é de 72 anos. Mais de 75% dos pacientes diagnosticados tem mais de 65 anos.

Etnia: O câncer de vesícula biliar apresenta incidência aumentada em países da Ásia, Europa Oriental e América do Sul.

Cistos de Colédoco: Os cistos de colédoco são bolsas de bile ligadas ao ducto biliar, conduto que transporta a bile do fígado e da vesícula biliar para o intestino delgado. As células que revestem essa bolsa muitas vezes contêm áreas com alterações pré-cancerosas que aumentam o risco de uma pessoa desenvolver câncer de vesícula biliar.

Pólipos da Vesícula Biliar: Alguns pólipos formados na parede da vesícula biliar podem ser pequenos tumores (benignos ou malignos) ou podem ser causados por uma reação inflamatória. Os pólipos maiores têm maior probabilidade de serem malignos.

Colangite Esclerosante Primária: Nesta condição existe inflamação e cicatrização das vias biliares. Pacientes com esta doença têm um risco aumentado de câncer da vesícula biliar e das vias biliares.

Histórico Familiar: A maioria dos cânceres de vesícula biliar não é diagnosticada em pacientes com histórico familiar da doença. O histórico de câncer de vesícula biliar na família parece aumentar as chances de uma pessoa desenvolver esse tipo de câncer, mas o risco ainda é baixo, pois esta é uma doença rara.

Na próxima semana, conversaremos sobre os principais sinais e sintomas do câncer de vesícula biliar. Até logo!

*A Fundação Cultural Planalto de Passo Fundo salienta que o texto reflete a opinião de seu autor.

Leia Também 25º Domingo do Tempo Comum. Municípios devem participar do censo SUAS O político honesto e seu Fusca. Uma incrível história real. Sabedoria