6º Domingo do Tempo Comum.

Postado por: Maria Vani Gehlen Ramos

Compartilhe
Na liturgia o "Tempo Comum" é um tempo muito rico porque nos leva à missão de Jesus, como o enviado do Pai. Juntamente com os seus discípulos leva a mensagem do Pai para todos que querem ouvi-Lo. E isso ainda no nosso tempo acontece. Ouvir a voz do Senhor Jesus e fazê-lo ser conhecido por todos. É a missão de todos os seus seguidores.
Toda pessoa tem um talento especial e precisa pô-lo a serviço da edificação do Reino de Deus.
Salmo 31.7 - Vós sois meu asilo, nas angústias me preservareis e me envolvereis na alegria de minha salvação.
A segunda leitura com a carta do apóstolo Paulo 10.31-11,1 exorta-nos a fazer tudo para a maior glória de Deus e estar disponível para a missão.
O Evangelho de Jesus Cristo, segundo evangelista Marcos 1,40-45 nos relata a cura de um leproso que se aproximou de Jesus com a certeza e a esperança de ser curado. Jesus usou da "compaixão" para com ele, porque se comoveu com a sua situação de sofrimento e exclusão. Naquela época os leprosos eram tidos como impuros e afastados do convívio dos outros. O leproso, por sua vez, anuncia sua cura proclamando e dando glórias ao nome do Senhor. Olhando para a nossa vida, também em muitas situações, passamos à margem da exclusão e marginalidade com a falta de fé e o reconhecimento que tudo é possível em nome de Jesus e em seu seguimento. O compromisso da "cura" de nossos males deve ser estendido para todos aqueles que sabemos estarem à margem da sociedade. Trazê-los de volta e reintegrá-los, com dignidade e compaixão, ao convívio de todos é o compromisso do discípulo de Jesus. Felizes os que creem, sem terem visto.
Bom domingo na paz do Senhor.


Leia Também Acende-se o fogo da tradição Onde estava a Bíblia? Transtorno de Personalidade Borderline Crescimento, emprego e custos de vida: o governo não entregou o que prometeu