Energético e álcool: uma combinação perigosa

Postado por: Jureci Machado

Compartilhe

Carnaval, festa diversão e muita bebida alcoólica. Uma das maiores preferências dos jovens é o consumo de energético associado a bebidas destiladas, os quais podem representar  sérios riscos a saúde.

Pesquisadores da  Universidade Purdue, em Indiana, EUA, fizeram testes com os cérebros de ratos adolescentes (já que não poderiam fazer o mesmo com humanos) e observaram mudanças químicas em suas massas encefálicas muito parecidas com os efeitos da cocaína.

Uma lata de energético pode ter até 10 vezes mais cafeína do que um refrigerante comum e   mesmo quando consumido sem álcool aumenta os riscos de dependência  alcoólica entre os jovens . Mas, quando o energético é tomado com álcool ainda durante a adolescência, o centro de recompensas do cérebro é alterado – e os jovens sentem mais dificuldade em lidar com substâncias prazerosas. Os efeitos podem durar até a vida adulta.

Os ratos que tomaram álcool com energético se tornaram muito mais ativos (como era de se esperar) e seus cérebros foram inundados por um tipo de substância  , típica de quem abusa da cocaína ou da morfina. Quando adultos, os ratinhos se tornaram muito mais resistentes à sensação de prazer da cocaína, o que pode indicar que eles procurariam doses maiores da droga. 

 Esse estudo comprovou que as duas substâncias misturadas causam mudanças de comportamento e na neuroquímica do cérebro.

Outros efeitos que essa perigosa combinação pode acarretar, são alterações cardiovasculares, arritmia cardíaca, alteração nos níveis de pressão arterial entre outros.

Equilíbrio e moderação sempre. Principalmente no Carnaval.

  *A Fundação Cultural Planalto de Passo Fundo salienta que o texto reflete a opinião de seu autor.

Leia Também Transtorno de Personalidade Borderline Crescimento, emprego e custos de vida: o governo não entregou o que prometeu Derrota e ensinamentos na Série Prata Alimentos que tiram a fome