Fuscão amarelo

Postado por: Júlio César de Medeiro

Compartilhe

Escrevi esses dias sobre a V.E.B – Velha Escolha Brasil (http://rdplanalto.com/noticias/28140/velha-escola-brasil) e depois desse texto uma amiga mandou email contando sobre seu pai e um Fusca que teve.

Contou que na década de 80 seu pai possuía um Fuscão 1500 amarelo, que contava com uma “leve” preparação de motor e uma caixa de SP2 (relação 8x31), freios a disco, bancos Procar, rodas gaúchas 14 polegadas e pneus bem largos, bem ao estilo V.E.B. Conforme o pai da minha amiga, esse Fuscão era o terror das estradas.

Não havia Corcel II, Chevette e Escort que não comesse poeira. Outros Fuscas então nem se arriscavam. Às vezes um ou outro corajoso encontrava com ele e chamava para uma disputa. Esses incautos todos tinham o mesmo destino: ficar para trás, mas bem atrás.

Mas houve um dia que foi especial. Voltava o pai da amiga de seu serviço em outra cidade com o indefectível Fuscão amarelo quando alcançou outro famoso “queimador de asfalto” da região, o Opala preto 001 – carro oficial do Prefeito, com o próprio no volante.

 Inicialmente foi uma aproximação normal. O Fuscão chegou, ultrapassou e o Opala sumiu no retrovisor. Demorou um pouco, mas o 001 encostou, dando sinal para ultrapassar. Abriu, ultrapassou e ficou ali, logo à frente. O Fuscão mantinha sua velocidade de cruzeiro, uns 120 km/h. Então o 001 balançou no asfalto, chamando para a briga.

O pai da minha amiga contou que por alguns poucos segundos pensou se aceitava o desafio, afinal, era um Opala e era o Prefeito. Mas só pela história de ter sido chamado para um racha por um Opala já valia a pena. Então acelerou. Em seguida colou no 001 e então se iniciou uma perseguição com muitas ultrapassagens, gritaria de pneus e curvas na contramão. O Opalão mantinha a frente, mas o Fuscão não perdia terreno, andando colado. Já chegando à cidade, numa reta não muito longa, botou o Fuscão para o lado e emparelhou com o 001. Entraram lado a lado, rasgando a avenida principal da cidadezinha. A vitória seria de quem alcançasse primeiro a lombada em frente à escola.

Encontraram-se pessoalmente muitas vezes o pai da minha amiga e o Prefeito, mas nunca falaram uma vírgula sobre a corrida. O piloto do Fuscão não comentaria por respeito à autoridade. O piloto do Opala, por sua vez, nunca admitiria ter cruzado a lombada atrás de um Fusca.

 

Leia Também Alimentação durante o tratamento da infecção urinária Estado falha e municípios pagam a conta da saúde O cão, o trigo e o Fusca Não incide IOF sobre fluxo financeiro em participação em sociedade